terça-feira, 5 de maio de 2009

Por que estão vazios os estádios de futebol...

Aproveitando uma estada mais a Norte no fim de semana prolongado, e dado a significativa percentagem de sportinguistas com quem estávamos, resolvemos ir ver o Académica-Sporting. Achei giro levar a Joana ao futebol pela primeira vez, ela gostou da ideia, o dia estava bonito, o Júnior meteu o benfiquismo no saco e lá fomos nós acompanhar os nossos amigos, esses sim verdadeiros "leões".
Conduzimos durante uma hora, estacionámos com relativa facilidade e "só" faltavam os bilhetes. Pois, os bilhetes...
No momento em que o jogo começava, estavam cerca de 200 pessoas, distribuidas por duas filas quilométricas, em direcção às bilheteiras. "Aqui é sempre assim", ouvia-se. De repente, enquanto um polícia tentava impedir os chicos-espertos de passarem à frente, um funcionário da bilheteira simplificou a situação: "Está na hora!". Fechou. Presumo que deva ter ido ver o jogo... Pelo menos aquele não se deixava enganar...
Perdida metade da primeira parte (descobrimos uma bilheteira que só vendia para a bancada Sul, tinha pouca gente e safámo-nos a 20 euros cada um...) lá nos sentámos. Depois, foi um festival: um jogo de futebol do pior que já vi (e eu vi muitos), sem rasgo, empenho ou golos; insultos e palavrões vindos de todas as direcções e muitos homens de tronco nu que deixaram a Joana de boca aberta durante um bom quarto de hora; um senhor atrás de nós que berrava insistentemente "Derlei, atira-te para o chão!"... Foi lindo.
E continuou... Quando a miúda teve fome, deixei passar o intervalo e aceitei perder uns emocionantes minutos da segunda parte do jogo para me deparar com a fila para o bar, que ainda não tinha escoado. Porquê? Um moderníssimo sistema de venda de senhas, daquelas com picotado, sabem, tipo rifas, obrigava à passagem e permanência em duas filas. Uma para comprar a dita senha (destacada com muita calminha e cuidadinho para não rasgar e ficar feia), outra para levantar uma sandes (uma incógnita embrulhada em papel branco para a gente nem tentar adivinhar o que vai comer).
E vinha eu hoje a ouvir na rádio que as pessoas não vão ao futebol. Porque será? Pela minha parte, fiquei esclarecida. Cinquenta euros de bilhetes, trinta euros do jantar, gasóleo, portagens. Sem contar com o desgaste pessoal da desilusão, que não tem preço, ficou para cima de um dinheirão.

Beijos,
T.

5 comentários:

Ninia disse...

Confirmo totalmente as palavras da companheira de infortúnio futebolístico.
Mas valeu a pena só para ver a cara da Joana, a olhar aparvalhada para aquele circo.
Gostei muito de vos ter cá!

Fipas disse...

Foi tão giiiro! Mas falta aqui a foto do Jr com 3 cachecóis do Sporting e a gravação do Paulo a gritar pelo Benfica... aquando do jogo fo Nacional!!! AHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHA!!!!!

Anónimo disse...

Bom a aventura foi mesmo do melhor e sem duvida dava para escrever "uma aventura no estádio"... imagino a cara da minha boneca... :)))
Nunca mais vai querer ouvir falar em bola na vida, ao menos isso... que para ser benfiquista... não vale a pena... ups!
Ainda me lembro das tardes de domingo que ia com o pai ao Belenenses, o que eu adorava aquilo, duas horas de liberdade, a ouvir gritos e palavrões, para não falar nos nogats e nas queijadas de Sintra, que faziam sem duvida a delicia do programa. Bons tempos!
Espero que ao menos o sporting tenha ganho...
Aposto que se divertiram à grande, nem o Paulo e a Filipa deixavam que fosse de outra forma...
Beijos, muitos beijos grandes mana Grande
m

Ana Alex. disse...

Passo por aqui frequentemente e nunca comento, mas hoje pareceu-me im possível não escrevinhar qualquer coisa... :) Também eu estive para ir ver o meu Sporting a Coimbra, até porque o passeio é agradável, mas, tendo em conta o jogo horrível que foi, ainda bem que não saí de Lisboa. Conselho de quem anda habitualmente nessas lides, ir sempre com antecedência para o estádio, sobretudo se não tiveres bilhete.
As criaturas sem camisola e os vulgos palavrões fazem parte... Mas há sempre umas personagens engraçadas :) Já a comida, além de não ser muito variada, tem, por norma, preços exorbitantes. Assim como os bilhetes (nesses estádios por Portugal fora os preços ultrapassam muitas vezes o que te custa ir a Alvalade ou à Luz). De qualquer forma, se quiseres, um dia levo a Joana ao do Sporting ou então, num final de tarde, sugiro que vás com ela ao Restelo. Afinal, sempre é o Estádio com a vista mais bonita de Portugal. :) bjs

pnv disse...

Foi realmente uma aventura.

O melhor mesmo foi o resultado mais à noitinha do Benfica...

O pior é que nem havia queijadinhas.

Quanto ao futebol, nem vale a pena falar. Miserável... mas será que alguém estaria à espera de outra coisa. É tudo muito mau...

Valeu pela cara da Joaninha e por momentos ela ter acompanhado a claque no grito 'SPORTING'. Está no bom caminho!