quinta-feira, 11 de junho de 2009

Enquanto vivemos


"Tenho de apressar-me, porque não sei quanto tempo me resta. O meu médico, o bom doutor Pons, fala em alguns meses, mas não me garante em que condições. Receio o pior. O cancro está espalhado e tritura-me os ossos. (...)

O mais dificil é despedir-se do que se ama. (...)

O pior não é morrer. O pior é o silêncio. Saber que, quando nos formos embora, não fica nada nosso. Nestes dias penso muito em tudo o que me rodeia. Nos meus queridos livros. Na minha casa, que com o tempo ficou como eu. Nos meus sentimentos. (...)

Amanhã continuarei. Os remédios provocam-me sonolência. Odeio a confiança com que escrevo uma palavra que não me pertence: amanhã."

Enquanto Vivemos
Maruja Torres

P.S. Tenho saudades do meu cabelo comprido. Tantas, tantas. Odeio este!!!!!!

7 comentários:

beatriz disse...

minha querida não leias estas coisas! olha para o dia... está lindo, és linda, vais voltar a ter um cabelo lindo e comprido, é só uma questão de tempo! Olha sempre para a estrelinha que olha por ti e por todos nós e não percas o rumo que tens tido... luz, esperança e fé!
continua a ser uma força... sem que não é mportante mas... para mim foi tão importante ter estado contigo naquele dia! nem sabes o quanto bem me fez!
Um beijo com muita amizade

Anónimo disse...

Não seria tudo tão mais fácil se fossemos devidamente "treinados", socialmente, para aceitar a morte como parte natural da vida? Sem que, com isso, deixassemos de lhe dar o devido valor, claro, muito pelo contrário.
Este sentimento que temos para com o fim natural da vida, que afinal calha a todos, e a muitos em circunstâncias bem mais madrastas, é muito inconveniente.
Estou a tentar aprender a ser "confortable with uncertainty", só isso. Um dia, seja lá quando e como for, vai ajudar, vais ver.
Beijos
Teresa

Anónimo disse...

Estou de acordo com a Beatriz, não leias essas coisas. Não te faz bem.
Onde está a boa disposição e a força com que nos habituás-te?
Continua a acreditar que cada caso é um caso e que vais ultrapassar tudo isto.
O cabelo vai crescer, mas como já te disse esse corte fica-te bem. Eu gostava de poder usar o cabelo curto, mas como tenho a cara magra fica-me mesmo muito mal. Agora com o calor até dá jeito o cabelo curto.
Temos que combinar um almoço um dia destes. Vou ter com a Rita à redacção e vamos almoçar.
Força Teresa
Beijos
São

Fipas disse...

"É preciso ter força para ser firme,
mas é preciso coragem para ser gentil.

É preciso ter força para se defender,
mas é preciso coragem para baixar a guarda.

É preciso ter força para ganhar uma guerra,
mas é preciso coragem para se render.

É preciso ter força para estar certo,
mas é preciso coragem para ter dúvida.

É preciso ter força para manter-se em forma,
mas é preciso coragem para ficar de pé.

É preciso ter força para sentir a dor de um amigo,
mas é preciso coragem
para sentir as próprias dores.

É preciso ter força para esconder os próprios males,
mas é preciso coragem para demonstrá-los.

É preciso ter força para suportar o abuso,
mas é preciso coragem para faze-lo parar.
É preciso ter força para ficar sozinho,
mas é preciso coragem para pedir apoio.

É preciso ter força para amar,
mas é preciso coragem para ser amado.

É preciso ter força para sobreviver,
mas é preciso coragem para viver.

Se você sente que lhe faltam a força e a coragem,
queira Deus que o mundo possa abraçá-lo hoje
com seu calor e Amor !

... e que o vento possa levar-lhe uma voz
que lhe diz que há um Amigo em algum lugar do Mundo
desejando que você esteja bem..."
Silvia Schmidt

Anónimo disse...

adorei o pensamento da fipas, alimento d'alma. Graca e gratidao a amiga da amiga, que elo e corrente bonita 'e esse blog. E pra voce, querida Teresa, achei o seu texto o mais humano de todos. Quisera poder estar perto, abraca-la apertado, sentir seu coracao bater junto ao meu e quem sabe compartilhar contigo um pouco do que sentes. Li certa vez que uma amiga de Elizabeth Taylor lhe perguntou como poderia presente-la visto que ela ja tinha na vida. Sabe qual foi a resposta dessa famosa atriz: "Give me tomorrow, I certainly dont have that." Ninguem tem o amanha, temos hoje e com Deus, hoje basta. te amo, maria

Anónimo disse...

Ai mas o que é isto agora?!! estou com a Beatriz, mas também te percebo... vê là se pensas em coisas um bocadinho melhores por favor... e que conversa é essa do cabelo?!! Tens saudades em quie tudoestava bem, nao é do cabelo... calma, nada de sofrer por antecipaçao... :(
Beijos muito grandes mana grande, luv u!
Tenho saudades tuas!!!
m

Ninia disse...

Tu és linda de qualquer maneira. O cabelo curto fica-te mesmo bem. Está a crescer e a ficar encaraculado.

E foram muito bons estes dias T. Obrigada por tudo.