quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Dorzinhas e o maior dos amores

Há dias em que dói tudo. O estômago, a cabeça, a garganta, os ossos (em locais novos), a mão esquerda... enfim, um bocadinho de tudo. É o caso deste preciso instante. Além do cansaço (uma reunião de pais pode ser um exercício esgotante), ando apavorada com tantas dorzinhas aqui e ali. E não é a dor que me incomoda, com essas posso eu bem, mas sim o pavor do que possam representar.
Antes de mudar de médica - a minha deixou o SFX - tinha uma consulta com ela a cada três semanas, no dia em que se avaliam as análises e se faz a quimioterapia. Com a médica nova, não é assim. Foram marcadas três sessões de quimio e só agora, no dia 17, é que vou ter consulta. Tanto tempo sem ser vista, sem falar, sem fazer análises, enfim, sem saber como estou, deixa-me ansiosa, muito ansiosa e, se calhar, cheia de dorzinhas. Espero que se trate, de facto, de uma bola de neve e não seja nada mais grave. Com tanto químico, isto não pode estar a crescer, POIS NÂO?

Tenho de ir, a Jo está a cair para o lado e quer que eu vá com ela para a cama. Aproveito. Gosto de vê-la adormecer encostada a mim. Eles crescem tão rapidamente que, muito em breve, já não vou poder andar tão perto. Hoje, quando cheguei à escola, ela saiu lá de um canto a correr, de braços abertos, a antecipar um abraço. Vocês que têm filhos mais velhos sabem bem quanto isto vale e quão depressa desaparece, não é?

Beijos, beijos,
T.

7 comentários:

Ninia disse...

Olha pois, eu acho que a minha mãe ainda fica contente de me ver correr para ela de braços abertos! E para quem não me conhece, eu já sou bem grandinha.
E com as dorzinhas, não te preocupes. A ansiedade é uma coisa terrível.

Anónimo disse...

Quando estamos ansiosas tudo nos dói, não te preocupes, tenta afastar esses pensamentos negativos.
Aproveita bem os tempos da Jo pequena porque quando chegar à adolescência os abraços e beijos já são mais escassos, é só quando estão para aí virados, normalmente as minhas filhas quando vinham com muitos abraços era sempre para pedir alguma coisa. A mais nova ainda é assim, por isso curte esta fase da Joana que é a melhor e como dizes passa muito depressa.
Pensamentos positivos para amanhã.
Beijos
São

Madalena disse...

Olá Teresa! Eu também estou cheia de dores e estou sempre a pensar o mesmo que tu. Será que???? E na minha cabeça as dores transformam-se em verdadeiros adamastores a guardar a boa esperança que eu tenho de que fiquemos todas livres destas tormentas. Sei que não preciso jurar, mas juro: quero tanto que fiquem bem, tu e as outras "amigas cor-de-rosa", como quero para mim. E sabes que a vida arranja sempre maneira de nos fazer desejar ficar. A ti é a Jo. A mim é o desejo enorme de ver um neto ou uma neta. Todas temos uma razão. E a razão pode ser mais poderosa do que os químicos e as radiações.
O que dizes sobre a frequência das consultas corresponde também ao que eu senti: as consultas muito frequentes dão-nos a sensação de segurança e confiança que gostaríamos de ter sempre.
Muitos beijinhos Teresa e boas "colheitas". Beijinhos!!!!

TeresaM disse...

Minha Senhora:
também me doem os ossos - uma mudança de tempo, tão repentina, faz isto e a idade não perdoa!
A dor de garganta, cabeça, nada digo pois pode ser o mesmo, tão só ou, alguma constipação. As análises, talvez o teu cocktail de químicos tenha sido alterado, deixando de incluir algum dos que anteriormente tinha como efeito: a diminuição dos glóbulos brancos e vermelhos. Eu fazia sempre hemograma antes da quimio mas não tinha qualquer consulta prévia. Vinham os resultados e avançávamos com a quimio. Os tratamentos é que o ditam! De certeza que a nova médica não estará a fazer algo que não possa ou não deva fazer. Mas, como os ditos senhores doutores não são "deuses" podem errar e nós, na dúvida, perguntamos!! com muita diplomacia que alguns têm a mania que são....
Como sabes, conheço essa angústia, a da dor que não sabemos porque vem e donde vem. Estar bem, completamente bem é um "must".
Agora repara: ainda há bem pouco tempo sentias-te mal durante vários dias após a quimio. Sentes-te bem, ou melhor que nas outras sessões, portanto está tudo a correr melhor do que antes. As tuas defesas, o teu organismo está mais reforçado, a quimio está a cumprir o seu "desígnio": fazer bem!
Como já o disse: "lambe a cria até à exaustão", esses momentos são demasiado fugazes, tão depressa ela te pede para a penteares como te "sacode" a mão dos cabelos se o fazes na rua, cometendo mesmo o crime de ir uns metros à frente, bem destacada, orgulhosamente independente, como desdenha as tuas escolhas da roupa, como te diz: a professora é que SABE!!, como...enfim, entra na fase do armário...sai da do armário, volta a ser uma doçura, tem opiniões, faz as suas escolhas, justifica-as, bem fundamentadamente aliás, como a vês sair porta fora e...TOU NESSA FASE!!!
Beijinhos

beatriz disse...

As tuas dores, são de certeza das mudanças de tempo e da ansiedade, nada mais!
Não podes ter umas consultas por fora? tipo entre as outras? desculpa se estou a dizer tonterias...
Quanto às nossas princesas...
è tão bom adormece-las, a bea também me pede para ir dormir e tem que ser a fazer "cadeirinha" são as nossas meninas e só nossas!eu sei que elas vão ser uns "montros" mas não vamos pensar nisso eu não estou nada preparada :) beijos

Gatapininha disse...

Olá
Vim aqui parar através do blogue da TeresaM. Também eu ando neste momento cheia de dorzinhas grrrrrrrr
Para a semana já tenho marcada uma cintigrafia. Estou preocupada.

Eu quando fiz a quimio também só fazia o hemograma e as plaquetas, os enfermeiros viam e decidiam se faziam o tratamento ou não. A consulta era só depois dos 3 ciclos.
É preocupante, mas temos que confiar.
jokas grandes e tudo de bom
Sandra

Fipas disse...

Força linda!