terça-feira, 11 de maio de 2010

Simplesmente diferente

Uma das grandes curiosidades, se assim lhe posso chamar, de viver com esta doença é o convívio com um novo eu. Tinha 41 anos quando comecei esta etapa e havia muito sobre mim que eu já conhecia. Longe de saber tudo sobre a minha pessoa tinha, no entanto, alcançado um nível de conhecimento que começava a dar alguns frutos, aqueles típicos da idade... Começa a aceitar-se alguns defeitos (que teimam em não passar), da mesma forma que se acolhem melhor os pequenos delitos de alma dos outros. Afinal, ninguém é perfeito.

Mas agora, em muitos aspectos tornei-me numa nova pessoa. Às vezes melhor, outras pior... nada de conclusivo na escala da qualidade. Simplesmente diferente. E com a particularidade de ser alguém que não conheço.

Neste ano e meio, tenho vindo, a pouco e pouco, a descobrir essa pessoa nova que habita no meu corpo, mas a verdade e que ela também ainda não parou de mudar.  Alíás, a inconsistência é, até ver, o seu pior defeito. Um dia acorda bem disposta, no seguinte nem tanto. ´Num minuto é enérgica e alegre, no outro, impaciente e irascível... Não é fácil lidar com ela. Alterna momentos de alegria e tristeza com a velocidade, e a força, de um tornado. Esquece-se do que fez e disse, insiste em não dar a devida atenção ao exercício físico e à dieta (nisto não mudou nada) e vive infeliz com a sua forma física e aparência. Por mais que lhe digam que fica bem (e alguns dias até esteja de acordo) detesta ver-se com o cabelo curto. Não compra roupas novas porque está gorda, não veste as que têm porque não lhe servem... ~

Como também ando de olho nas pessoas que vivem dentro de vocês, algo me diz que uma irmã desta também habita por aí... Reconhecem-na?

Beijos
T.

20 comentários:

Geninha disse...

Querida Teresa
Como eu me revejo nesta descrição de pensamentos, que tu tens o dom de conseguir exprimir tão bem.
Sê Feliz Amiga, temos que nos aceitar e tentar melhorar a parte da força para a dieta.
Beijinhos

Ana Paula disse...

Bom dia amiga, que bem que tu sabes escrever.. não conseguiria transmitir melhor o que me vai na alma. A irmã gémea,identica igualzinha, habita aqui sim senhor.

Teresinha temos de tentar aceitar os nossos pneus a mais, os nossos bons e maus humores e pensar sim estou aqui, sim estou viva, sim quero ser feliz.

Beijinhos e por favor sê feliz

Nela disse...

Que disparate! Essa gaja aí não me diz nada... Qual irmã?! Nem prima afastada...

Alda disse...

Ela por vezes aparece... mas eu corro logo com ela! safa!!!

bjs

Madalena disse...

Olá Teresa! Parece que todas nos revemos nestas tuas linhas (lindíssimas, por sinal!). Por um lado. Mas por outro: eu acho que estas linhas revelam uma bom conhecimento de ti mesma, fruto de introspecção programada ou não, mais ou menos consciente. Tudo nos muda. A cada condição corresponde um eu, que se adapta ao eu que o precede e que o segura não vá ele resvalar. É a dinâmica do percurso de vida que, sabe-se lá porquê, nunca vamos conseguir dominar em termos absolutos. Daí a nossa inconstância. Muitos beijinhos, menina Teresa!!!! És uma miúda e muito gira. O pneu vai abaixo mais dia menos dia. Nem que tenhamos de fazer uma dieta colectiva. Podias promover isso. Cada dia uma de nós era responsável pela elaboração de uma ementa saudável. Comprometia-se a não comer o salame da Nela, nem outras iguarias.... Pensa nisso.

Nela disse...

O salame da Nela tinha que vir à baila, não é menina Madalena???!
O meu salame não engorda! Ninguém o consegue engolir como é que vai engordar?!

beatriz disse...

Olá Teresa,
Irmãs vais encontar em todo o lado:) eu tenho uma comigo! :) acho que é um estado, muito bem descrito por ti, que é comum a toda a mulher. Mais cedo ou mais tarde, porque constatamos a lei da gravidade, porque o pneu teima em não sair, porque a dieta demora mais ( comecei a minha na semana passada e fiz o liposhaper do nosso amigo no sabado... vamos ver o que dá), porque a pele está mais flacida, porque os humores variam,porque a resistencia é menor, porque a paciência para certas e determinadas coisas não existe! enfim por tudo e por nada!
Mas o importante mesmo é que continuamos cá com a nossa energia e os nossos porquês... sem eles o que seria de nós?
Um beijo muito grande e sê muito feliz!

Lina Querubim disse...

TP
Tenho uma gémea dentro de mim ihihihii uma já custa aturar imagina duas!
É Teresa, revejo-me em tudo sinto-me assim como tu, mas na parte fisíca com o tempo mudas alguma coisa ;o) porque eu não faço dietas e já visto roupa que vestia :o) não toda mas alguma. A medicação também não ajuda pelo contrário. As hormonas andam doidas e com elas nós também mas...não há nada como um dia a seguír a outro!
Beijokas

angelina disse...

boa tarde manas Gèmeas
eu estou como voçes todas. uns quilos a mais sem paçiencia nem vontade de fazer dietas.
seja o que Deus quizer
beijinhos
angelina

Natália disse...

Olá Teresa
Acabei neste preciso momento de descobrir porque gosto tanto de ti!
Afinal somos gémeas ihihihih,só que tu tens uma vantagem sobre mim és lindaaaaa e novaaaaa.
Agora dias desses como os teus tenho muitos,mas temos que aprender a viver com eles,mas é dificil lá isso é!
Beijinhos

Anónimo disse...

Faltava eu....dãaaahhhhh...não tens lido os meus inconstantes estados de espírito??
Ora me sinto em alta ou estou neura?? Ora digo gaita, ora canto e danço como um a tolinha?? Olha, hoje parecia uma executiva, sapatinho alto, meia escura, saia...aaaaaaaarghhhhh não consegui vestir...ah, mas hoje estou cheia de genica, portanto acho que ainda a vou vestir...é só menos um bocadinho!!!
Logo, logo ficou a achar que...ainda tem muita banha para recauchutar e....sem exercício não vai lá!! E onde anda o exercício???? algures....por terras de ninguém....
Epa...tamos todas mais gordinhas, mas (como hoje estou positiva) é curva apetitosa....
Beijocas (belíssimo texto)
TeresaM

IsaLenca disse...

Xi...que multiplicação de seres que para aqui vai: será do salame ou da perna de frango?
Pois acho que já é muito bem conseguirem descortinar a "vossa gémea" e saberem ir convivendo com ela. Pensando bem acho que todas, sem excepção têm uma irmã gémea: a positiva e a negativa; a alegre e a sisuda; a "modelo" e a "pipinha"... Bom mesmo é saber consiliar as duas e tentar que a "mais destrambulhada" não mande em nós.

Bjs

IsaLenca disse...

Nem liguem aos meus erros...deve ser efeito da nuvem! LOL!

Teresa disse...

Obrigada, gémeas. Só a careta da Nela é que nem pra prima a temos. :-)

Beijinhos a todas
T.

Lina Querubim disse...

TP
a Nela é aquela coisa que a malta sabe...iihihihihi ela não tem gémea, prima ou seja lá o que fôr porque não a aguentam ihihihihi :p
Beijokas fica com os Anjos

Susana Neves disse...

Ai Teresa, nem sei que te diga porque os meus comentários aos teus posts são sempre iguais.
Podia ter sido eu a escrevê-lo (ainda que não o fizesse tão bem). Percebo-te tão bem.

Beijinhos grandes

Anónimo disse...

Ser diferente, e estar sempre a mudar só pode ser bom, mal de nós se não mudássemos...
Sempre te achei óptima como pessoa, e como irmã não tenho palavras... sinceramente acho que estás muito melhor, ainda melhor, e não acho que tenha só a ver com a doença, talvez ela te tenha feito "despertar" mais rapidamente... ficaste aberta e mais atenta a coisas que ainda não estavas... até meditas, e gostas... imagina...
O que quero dizer, é que tens que te dar o teu tempo, sem culpas nem recriminações, dá-te o teu tempo, mas mete a primeira... é só o que custa, arrancar.
A dieta é mais fácil, quando se mudam hábitos de vida, vai para a rua caminhar, respirar e ouvir essa nova Teresa. Muda pequenas coisas na comida, elimina aos poucos, não custa assim tanto, se conseguires comer um pouco de tudo, eu disse um pouco ;)
Tu és capaz, que eu sei, mas se estiver enganada, simplesmente desiste, mas não te martirizes ou fiques triste com coisas que estão só nas tuas mãos, já basta o resto...
Já chega, milhões de beijos à minha mana "preferida", sem ofensa para as outras, afinal a antiguidade é um posto, dizem...
m

maguie disse...

o que é isso???? hummmmm
eu entendo houve momentos que eu não conseguia me olhar ao espelho sem me achar horrivel, sem sentir saudades do meu cabelo comprido,da pessoa que era antes mas depois passa, há sempre alguem que nos eleva a nossa auto estima.
os momentos tristes vão aparecer sempre mas tambem vão desaparecer rápido , só temos de aprender a viver com essas mudanças.

Uma vez mais eu digo que te achei linda e de cabelo curto, e não estou a ser hipocrita é o que eu penso, es linda simmmmm, mas claro que tu é que tens de gostar primeiro de ti, e se não estás satisfeita, é sempre tempo de mudar, um pequeno sacrificio para a dieta, e deixar crescer o cabelinho novamente.
essa irmã que habita dentro de mim, tento deixa-la adormecida o maior tempo possivel, e quando ela acorda, dou-lhe uma trolitada e meto-a a dormir outra vez heheheeheh.....
beijinhosssssss
..

Anónimo disse...

O Pedro Guilhermino ama ver-te com o cabelo curto.

Beijos

Anónimo disse...

eu em voce, voce em mim e todos nos em Um. Passei por aqui para te abracar, ml