terça-feira, 22 de junho de 2010

Tudo (a)normal...

Ando inconformada. Praticamente com tudo. A começar na doença e a terminar em outros campos que não posso aqui referir, dada a faceta pública desta coisa.

Passados quase dois anos desde a reviravolta do meu mundo, sinto-me grata por estar viva... e mais nada. De resto, é puro inconformismo.
Com a situação clínica estabilizada (o que quer que isso queira dizer) tudo voltou ao normal. É suposto eu também ser uma mãe normal, uma profissional normal, uma mulher normal, uma filha normal, uma neta normal... já não se fala de cancro, dentro ou fora de casa, o assunto passou quase a ser tabu - também para mim, que já não quero falar disso pois na verdade não tenho nada de novo para dizer - só que... eu nunca mais consegui voltar a sentir-me uma pessoa como as outras. E quando se pensa que a passagem do tempo ajuda, isso não acontece.

Esta coisa agora de não fazer análises e consulta todos os meses, que deve ser vista como uma boa notícia, desampara-me. Sem as análises, não posso assegurar, a cada 30 dias, que os marcadores tumorais não aumentaram. Sem uma ressonância magnética não posso certificar-me de que não reapareceu o tumor. Sem um pet scan todas as semanas não consigo ter a certeza absoluta de que não há novas metástases, sem uma cintigrafia óssea todos os dias não sei se as lesões ósseas progridem ou não... Sozinha, sem consulta, sem exames, não sei nada... Hoje acordei a meio da noite a palpar a mama à procura de algo. Devia estar a sonhar com o diabo no corpo...

Continuo decidida a lutar com todas as minha forças, disso não penso desistir nunca, mas não me sinto optimista como a situação oblige, nunca mais soube o que era ser verdadeiramente feliz. E quando vejo que as outras pessoas acham que eu sou aquilo que quero que elas pensem que sou - normal - mas na verdade não sou, sinto-me uma impostora, uma meia-pessoa a viver a vida de outra, a fingir que não se passa nada, quando ainda se passa tanta coisa...

Tenho andado longe do blogue à espera que o vento mude de direcção, para não dar voz  a estes sentimentos, mas não há maneira de se irem embora...

Beijocas a todos,
T.

21 comentários:

Nela disse...

Às vezes o vento muda de direcção, sim, ainda que temporariamente, mas é quando se dá voz aos sentimentos.
E o inconformismo é uma boa mola. Assim a gente o saiba usar...
Beijinhos

maguie disse...

Querida Teresa
tudo isso é normal, é preciso aprender a viver com esses sentimentos, já sabes que ficamos marcadas para sempre e qualquer sintoma de doença para nós na nossa cabecinha é logo a pensar que o cancro voltou, vai ser sempre assim não á volta a dar, mas tens de confiar que se agora não fazes exames tão regularmente é porque não é necessário, que rdizer que está tudo dentro da normalidade para estes casos.
Então vamos lá mandar esses pensamentos para bem longe, e tentar ser feliz, se não plenamente como antigamente, mas feliz com algumas limitações e alguns receios, aproveitar a vida enquanto Deus nos dá a oportunidade de acordar todos os dias para ela
eu sei " diz o roto ao nu" mas é assim que eu tento pensar, claro que como tu tb tenho esses dias, mas como dizem os jogadores lolllll há que levantar a cabeça e seguir em frente heheehehh.....
vá lá anima-te!!!!!!
beijokas grandes
maguie
..

Natália disse...

Olá Teresa
Hoje também estou em dia mau para te animar,agora com as limpezas cada vez acredito mais que não vou ser nunca a pessoa que era.
Hoje não dá mesmo.
Beijinhos amiga.

Anónimo disse...

Assim é...disseste bem o que sinto. Ando do mesmo modo, quase zangada, seguramente irritada, sabendo que já não sou a mesma mas..também não me tornei alguém muito diferente. Sinto é de forma diferente, muito diferente. Essa angústia, a do pretenso "desamparo" é algo com que temos mesmo que lidar. Nenhum conselho sábio e inteligente consigo dar..lamento, sei que já fui mestra em conselhos, agora...olha népias!!
O que acho é que precisamos todas de nos revermos...pois os momentos foram bons mas souberam mesmo a pouco!! Ficou muito por conversar, ficou muita coisa por nos dizermos, a intimidade conquistada neste mundo virtual esbarrou com a enorme alegria de nos conhecermos e ficou assim...a saber a pouco!
Beijinhos
A OUTRA

Madalena disse...

Querida Teresa, é tudo tão normal...
Às vezes até me dá quase vontade de rir, apelar aos meus bons sentimentos, em nome da doença dos outros. A minha não existe!!!! E tudo o que eu sinto em termos de cansaços é psicológico!!!!!! Até a idade é psicológica!!!! lol Por isso é que nos encontarmos aqui a desabafar as mágoas. Aqui não vivemos pela metade. Há duas noites que ando a sentir uma dorzita na mama. A medo, palpo... Sei lá!!!! A apresentação do meu livro novo será a 23 ou 24 de Julho. Vamos ver-nos todas? Talvez!!!!!! beijocas

Lina Querubim disse...

Teresa
que mais te digo?!
Que é assim mesmo, que tenho dias iguais hoje é um deles já vomitei, tive tonturas, zumbido nos ouvidos, etc...que fiquem com uma série de mazelas que tenho que aguentar e dar gras a Deus por estar viva!
Sou a mesma????
Não!!!!
No bom e no menos bom. Fiquei mais passada da cabeça do que era, troco tudo, a cabeça anda na lua, não tenho vontade de fazer o que digo que amanhã faço. Perdi força que era coisa que tinha, vontade de fazer o que metia na cabeça, tinha que ser na hora andava tudo numa fôna comigo!
A parte que falas familiar e mulher também mudou...enfim...não te sintas diferente pelo menos de "algumas de nós" tem outras Meninas que conseguem fazer tudo olha...boa para elas, fico feliz!
Eu não consigo :o( agora incertezas todos temos e vamos aprender a viver com elas.
Deviamos fazer uma reunião a porta fechada para falarmos de todas estas dúvidas :p
Deixa a vida te levar, um dia de cada vez e nada é por acaso!
Beijokassssss grandes nesse coração

Lina Querubim disse...

pimbaaaaaaaaaa comer letras até tenho aço...:p

Graça disse...

Olá prima,
Tudo isso que tu sentes,é normalíssimo, todas nós sentimos da mesma forma, e se há dias em que saímos para rua, como se nada fosse, há outros dias que não nos apetece enfrentar ninguém, queremos ficar no nosso cantinho, é isso que temos que contrariar, não podemos fazer todas as vontades ao corpinho, eu acho que trato muito mal o meu, mas pronto.., mais tarde ou mais cedo, vou pagar por isso!!
Vá lá!! não desanimes a vida está aí para ser vivida, da melhor forma possível, não podemos gastar energias com coisas que não valem a pena.
beijinhos

angelina disse...

bom dia amiga
não sei o que dizer. tambem ando meia chocha lol
beijinhos grandes
angelina

maguie disse...

psiuuuuu psiuuuuuuu, vamos lá arrebitar!!!! acho que estamos todas a precisar de um novo almoço para fazer a troca de carregamento das baterias lolllll!!!!!
vá arrebita!!!!!!
beijinhos
..

IsaLenca disse...

Gostava de ser como "o Lobo mau dos 3 porquinhos" e assoprar, assoprar... Daqui vai um valente sopro!!
A Maguie tem razão! Bjs

Lina Querubim disse...

Mulheradaaaaaaaaaaa só tenho forças para dar á língua...ihihihiihii e rir :o)

IsaLenca disse...

E achas pouco, Lina?? Eheheh....

maguie disse...

Teresita
onde andas???? arrebita!!!! vá lá estamos sentindo a tua falta TPlindona
beijokas
..

Lina Querubim disse...

TP não ouviste a Maguie??
Voltaaaaaaaaaaa estás perdoada ihihiihihih beijokas dorme bem!

Susana Neves disse...

Estou aqui a pensar em algo inteligente para dizer, mas confesso que não sai nada.

Para não variar, só consigo dizer que te percebo muiiiiiiiiiiiito bem.

Quanto ao resto, há dias melhores outros piores em termos de humor. O importante é mesmo vivê-los, sejam como forem.

Muitos beijinhos

Anónimo disse...

Márcia disse:

Olááááá´....queremos a TPLindonaaaaaaa!!!!!!!
muitos beijinss

Natália disse...

Teresaaaaaaaaa
Onde andas?
Ouviste as amigas?
Volta que estás perdoada.
Beijinhos

Filipa disse...

Força! Bjnhos

Anónimo disse...

Mana, Como dizem as tuas amigas parece que isso é normal... e deve ser, porque na realidade acho que isso acontece a toda a gente...
O importante, na minha opinião, seja qual for a situação em que a vida nos põe, é conhecer-mo-nos realmente, ou pelo menos tentar-mos, porque na realidade somos impostoras sim, mas não para os outros e sim para nós próprias...
se pensares bem, não há nenhum motivo para não estares feliz, mas não estás... então tens que procurar a Teresa feliz... sabes quem é?!! O que lhe faz falta, o que está certo e errado?!! Provavelmente não... e isso não tem nada que ver com a doença, mas sim contigo... antes de tudo isto, talvez também não estivesses verdadeiramente feliz...
Aproveita agora, que sabes o que realmente é importante e vai sem medos...
na realidade todos estamos aqui agora e todos podemos não estar daqui a... a todo o momento podemos partir, e é por isso que a vida é curta, e que por mais que nos custe, temos o dever de tentar ser felizes, e isso só nós podemos fazer, mais ninguém...
As coisas já vão melhorar, mas não te esqueças de fazer a tua parte e não deixes que tudo volte ao antigamente, ao dito "normal"...
Põe as pilhas, medita, respira, ouve-te!!!
Eu, já sabes, estou SEMPRE aqui, milhões de beijos minha querida e adorada

Ana disse...

Olá!!!
Sinto na pele cada um dos teus desabafos...
Efectivamente nada volta a ser como antes, a vida tem outro sentido...
Tudo é acrescido pelo facto de termos de ser super e mesmo nesta situação continuamos a ser os seres fortes que os nossos familiares e amigos precisam de sentir...
Sempre esquecendo-nos um pouco de nós...

Mas acresce que somos vencedoras e sortudas, basta olhar à nossa volta e verificar que algumas histórias já tiveram o seu fim e fica a doce recordação e constatamos tb que há sempre quem esteja pior do que nós, situações bem mais graves...
Por aqui, no Porto e concretamente no S João não se faz esse tipo de exame...marcadores...pet...
Fazemos outros e vamos sendo acompanhados se bem que quando a situação se estabiliza (????) começam a ser mais espaçadas as idas ao Hospital e fica então aquele medinho diário...
Mas a vida segue, em frente, vivendo um dia de cada vez, da melhor forma possível...agradecendo cada minuto que nos é concedido...
Vale a pena viver e lutar...
Beijinho, mt força e o melhor para ti
Ana Lourenço