quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Olhos de medo

Fez em Setembro dois anos que me foi diagnosticado o cancro e dei início à quimioterapia. Em Março fiz radioterapia e "descansei" até Julho, mês em que tudo voltou à estaca zero. Daqui a pouco tempo fará um ano sem quimio. Um singelo ano. Mais um ano de vida, dirão muitas de vocês. Têm razão, mas o meu coração não se acalma.
Hoje estou inquieta, já ando há umas semanas, mas a tentar não dar voz à nervoseira. Não sei de onde veio ou para onde vai, mas anda por aqui a atrapalhar-me a tranquilidade.
Não sei bem como explicar, mas sei que muitas vão perceber.
O tempo passa, e com ele, vai crescendo o medo de que tudo volte. Começa a entrar-se naquele espaço de tempo em que quem tem cancro metastizado, como eu, volta muitas vezes a enfrentar a força da doença. Não quero dizer nomes, mas sei que vocês sabem, sei que andaram por aqui outras amigas que acabaram por nos deixar ao terceiro e quarto ano de luta.
Considero-me uma pessoa forte, mas não tenho a pretensão de ser mais do que tantas outras e outros, pessoas fantásticas, de grande força física e mental, pessoas com a fé que me falta, que soçobraram perante tamanho inimigo.
Sinto-me insegura. Voltei a sentir dores estranhas. Comecei outra vez a ver a vida com olhos de medo.

T.

Não se preocupem comigo que eu estou bem, é "só" medo.

17 comentários:

maguie disse...

Compreendo o teu desabafo, acho que é normal e o medo tambem idêntico ao de todas, mas faz sempre bem desabar deitar cá para fora o que nos vai na alma, esse medo acho que nunca vai passar, só que tem momentos que está guardado no cantinho da nossa cabeça e do nosso coração e de repente lembra-se de dar o ar de sua graça, mas já já ele vai voltar para o lugarzinho dele e manter-se por lá por mais um tempinho, até á sua aparição de novo, no momento que ele aparece temos de saber lidar com ele, e tu sabes, és uma Grande mulher
beijokas
..

Ninia disse...

Adoro-te. Goza!!!

Susana Neves disse...

Quero só deixar um beijinho

Gatapininha disse...

Esse pequeno medo é o suficiente para nos tirar o sono, mas tens que pensar que foste à consulta há pouco tempo e estava tudo bem.
As dores são efeitos dos tratamentos e da velhice + tempo de chuva:)

jokas

Graça disse...

então prima! não te podes deixar dominar pelo medo, ele faz parte da nossa vida, mas temos que ser mais fortes.
tudo na vida é um risco, mas não podemos meter a cabeça na areia, e ficar á espera que nada aconteça, temos que enfrentar e saber lidar com os nossos receios.
fizeste exames á pouco tempo e estava tudo bem, esquece lá isso! as dores é do PDI
beijinhos

Lina Querubim disse...

UM BEIJINHO GRANDEEEEEEEE COM UM ABRAÇÃO ;o)

Madalena disse...

Querida Teresa, um beijinho tão grande como tu.

angelina disse...

beijinhos beijinhos
angelina

Cinda disse...

Um grande beijo e um abraço ainda mior do que tu.

Gigi disse...

Teresa,

como eu te compreendo, lá em casa somos 3 na cama, eu o meu Jota e ele, esse maldito medo.

Que surge sem explicação ou talvez não.

Se senjtes algo, tenta entrar em contacto com o médico, eu acho que se estivermos atentas conseguimos perceber as mensagens que o nosso corpo nos dá.

Outra vezes não é nada.

Força aí e beijocas grandes.

sonia disse...

Minha querida,
Como eu te compreendo,aqui tb funciona assim,sei bem o que isso é.
Estamos sempre com medo do que possa aparecer,mas vais ver que tudo vai ficar BEM!!
Como sabes tb tive metásteses e como se costuma dizer ando com o coração nas mãos,na próxima semana tenho consulta de oncologia e,claro que tenho medo,muito medo.
Mas,o que consigo fazer e tu tb é nos intervalos destas consultas e exames,quando não nos dói nada é vivermos bem a VIDA.Aprendemos a dar valor ao que importa realmente,e o resto bem o resto que se lixe.

Beijokas e bom fim de semana(tenho a certeza que vai ser)

P.S.Ainda não é desta vez que nos vamos conhecer pessoalmente

IsaLenca disse...

Adorava que todas as amigas tivessem sempre os olhos de Esperança e felicidade!

Fico feliz com os vossos OK's, triste com as vossas angústias e medos.

Amanhã espero que este gang doido vos faça sorrir durante todo o dia.

Um grande xi!

Anónimo disse...

Peço desculpa pelo que vou dizer, pois entendo e compreendo o teu medo...
primeiro, acho que estás a entrar novamente na rotina que te levou a isto, stress, trabalhar até tarde, não aceitar as novas limitações físicas e psicológicas.
Pouco investimento em ti, alimentação saudável, exercício, caminhar o que for... vale que aos fins de semana tens aproveitado e passeado bastante, mas isso não chega...
Já percebeste também que o teu corpo é bastante mais forte que a cabeça, e por isso tens que treinar a mente, meditar ajuda assim como qualquer terapia que nos ajude a "limpar" a cabeço dos imensos ruídos que nela habitam.
És um Mulher com M grande, forte, inteligente e cheia de força, mas continuas a não te por em primeiro plano... e tu tens que estar em primeiro lugar da lista, da tua lista.
Amo-te, adoro-te e todos os dias peço que Deus te proteja, que não te faça passar novamente por aquele inferno... e peço também que te ilumine a mente, pois quanto a mim é só isso que te falta para que a vida possa continuar de forma "normal".
Olha para ti, tu és linda, e é nisso que tens que acreditar, só mereces o melhor, dá-te o melhor, não aceites menos...
Beijo muito grande, e já sabes estou SEMPRE aqui.
m

Nela disse...

Teresa,

As amigas mais antigas, e que já andavam por aqui quando acompanhámos essas tais amigas de quem falas, sabem que eu não tenho papas na língua, nem tenho por hábito dourar a pílula em relação a esta doença. Nós, acima de qualquer outra pessoa, temos que ter consciência dos perigos que corremos e uma ideia muito clara do que pode acontecer. E porquê? para evitar, com todos os meios ao nosso alcance, que isso aconteça. E repara que, com isto, não quero eu dizer que é da nossa responsabilidade o que acontece. A culpa é uma péssima companhia. Não. O que quero dizer é que há coisas que podemos fazer para driblar o sacana.
Já falámos disso e estão bem estudadas: o stress é um inimigo e o sistema imunitário pode ser um inimigo ou um aliado. Tudo o que pudermos fazer para actuar nestas duas variáveis é muito importante.

O medo é inevitável. E não adianta dizer que está tudo bem e que há que olhar para o futuro e por aí fora, porque ele vai lá estar sempre a espreitar. Um dia mais em baixo e ele salta para a ribalta.

Mas combate com as armas que puderes.
Beijocos

Anónimo disse...

Querida homónima, Teresa de seu lindo nome:
O medo é terrível, a cabeça é, por vezes nossa inimiga e, outras tantas, a nossa única aliada! Acho sábias as palavras da Nela e da tua mana. Temos que combater, primeiro que tudo o STRESS, ele dá cabo de nós, do nosso sossego e acho que precisamos de sossego...
Precisamos relaxar, precisamos conseguir respirar fundo, precisamos ter esperança que a doença demore a voltar - também acho que um dia ela volta - mas, se esse dia for daqui a 10, 20 ou 30 anos, lutaremos seguramente com melhores armas, porque a ciência e a medicina assim o ditarão!
Temos que nos manter vivas e, para isso nada de ignorar os alertas que o nosso corpo nos manda. Como a Gigi diz, se algo te inquieta, vai ter com a tua médica e diz-lhe onde tens dores. Contudo não te esqueças: as dores podem só ser das mudanças do tempo, apenas disso. Apenas da tua "lufa, lufa" diária que tão bem nos transmitiste no outro dia. Voltar a rotinas anteriores, sem nada mudar, é convidar o stress e a intranquilidade a fazerem o seu ninho na nossa casa...Não os deixes andar à vontade, expulsa-os, não lhes dês tréguas!
Um beijinho
TM

Janine disse...

Espero, amanhã, poder dar um valente abraço e retirar esses medos todos durante um segundo que seja!
Um beijo enorme.

Cristina disse...

O mal deste bicho é que deixa-nos a pensar sempre nele, por muito que tentemos o medo há-de estar sempre presente.
Força linda há que aprender a lutar,pois, mesmo com medo nesta luta a vencedora serás tu, sem dúvida.
jokas