terça-feira, 2 de novembro de 2010

O passado de que somos feitos (não está só no museu...)

Ontem tive saudades do passado. Tive saudades de um tempo em que tudo parecia mais fácil. É difícil explicar, sobretudo sem magoar. Até porque as memórias enganam, e muito. Não tinha comigo as pessoas que partilharam, e ainda o fazem, os meus melhores e mais felizes momentos de sempre, mas era dona daquilo que a vida deixou de me dar: muita energia, saúde, descomprometimento e alguma irresponsabilidade, que me proporcionavam uma liberdade única e irrepetível. 
Hoje, sinto-me presa em compromissos. Faço muitas coisas que não tenho vontade, dou por mim onde não me apetece estar, falo com quem nada me diz... 
Quando fiquei doente, julguei ter-me reencontrado comigo mas isso já lá vai. Com o tempo adaptamo-nos a tudo, pelos vistos até a ter uma doença destas, a não ver horizonte nem futuro e, ainda assim, continuar a desperdiçar o tempo presente, aquele que está provado ser o que mais conta.

Pensando bem, a vida não deixou de me dar nada. Tudo se conquista. Afinal, quando foi que eu deixei de lutar pelo melhor para mim?

Bjs
T.


16 comentários:

maguie disse...

ès uma lutadora valente e eu tenho um imenso orgulho de ser tua amiga, temos de aproveitar o que a vida nos dá, e lutar por ela é que que fazemos desde que chegamos ao mundo.
uma beijoca muito grande

estás linda na foto e continuas linda
..

Cinda disse...

Menina tu és uma lutadora e nada deixou de estar como estava, apenas se vive e se vê de uma outra forma. O hoje é muito mais importante que o passado ou até mesmo o futuro.
Bjs grandes e está muito giraaaaaaaaaaa
Melhor, és muito gira.

Guida Palhota disse...

Olá, Lindona.
Podia ter sido eu a escrever o teu texto de hoje. Vi-me nele inteirinha, mas sei que temos de combater essa nostalgia quando ela teima em bater-nos à porta. Sei, mas também nem sempre combato. Como te entendo, miúda! Uma coisa é certa: tanto as alegrias como as tristezas devem ser espalhadas pelo mundo. No caso das alegrias, estaremos a alegrar mais alguém; no caso das tristezas, estaremos a partilhar um sofrimento que pode minorar-se, às vezes, só com uma palavra amiga.
Por isso, já nem sei se temos de ser sempre fortes e não deixar subir as saudades...

um beijo muito grande

Maria de Lourdes disse...

Teresa
que sei eu dizer, depois do que escreveste e dos comentários das nossas amigas, está tudo aí meninas, as saudades da nossas vidas mais simples mas mais despreocupadas.
No entanto não sinto qualquer desejo de voltar atráz mesmo que isso fosse possivel.
Quanto ás nossas lutas, são dificeis, mas temos que aceitar que a vitória também tem o seu preço e por vezes alto: beijinho

Janine disse...

Um beijinho e um abraço apertadinho... E força! ;)

sonia disse...

Teresa,
Quase de certeza que todas nós vimo-nos neste teu post de vez em quando...dá-nos uma saudade!!
Mas se não fosse esta doença,também não eramos as mulheres Valentes que somos hoje.
Nada é eterno,tudo muda!!
Nunca te esqueças que a felicidade é um trajeto...não um caminho.

Beijinhos

Anónimo disse...

Mana força aí nisso!! Adorei a foto, mas que roupa era aquela?!!! Não consigo parar de rir, parece que tens a roupa da avó Elisa vestida, mas está LINDA!!!
Beijoooooooo e... continua a lutar, sempre!!!
❤❤❤❤❤❤❤❤
m

Madalena disse...

Beijinhos, Teresa! És o máximo! Quando estou por aqui (e por ali!) enrodilhada nos meus pensamentos, que, no meu caso têm mais a ver com outros factores e outras mazelas, penso muito em ti, no teu exemplo, na tua força, na tua energia.

Graça disse...

Olá prima,
eu também ando um pouco melancólica, chego a sentir-me deprimida. depois da doença, era suposto olhar para a vida com outros olhos, aproveita-la ao máximo, todos os dias, mas isso é só teoria, porque na prática não é bem assim, está tudo ainda pior, porque tenho que fazer tudo o que fazia, com o dobro do esforço, não me sobra tempo para nada que me dê realmente prazer fazer!
beijinhos

angelina disse...

bom dia Teresa
saudades do passado tambem tenho as vezes
mas a vida è assim temos que caminhar sempre em frente
beijinhos e eras e ès muito linda

IsaLenca disse...

Pois já ninguém é igual ao que era e tudo é visto com outros olhos. Nem com lentes de aumentar ou de ver ao longe as coisas ficam bem focadas.

Mas também há dias melhores do que outros e são esses bocadinhos que vos "atestam" com a força de guerreiras que são. E tú és uma guerreira, teimosa, alta, mais crítica, mais selectiva, mas és cada vez mais autêntica (pelo pouco que te conheço mas que me vou apercebendo)!

Toca a ir sempre em frente pois para a frente é que é o caminho!
Bjs

Nela disse...

Qualquer pessoa ao envelhecer (não, tu não estás velha... nada disso!), olha para trás e tem saudades de tempos mais descomprometidos, mais leves. Mas a vida não tem dessas comparações, acho eu. Cada tempo é um tempo com o conjunto de experiências que acarreta. A insustentável leveza do ser, se se perpetuasse, era mesmo insustentável...
E a doença não muda isso, digo eu...
Mas seja lá onde te tenhas perdido, ainda estás bem a tempo de te encontrares. Ou queres esperar pela fase da 3ª idade?! Com fralda e cadeira de rodas não é impossível, mas é um pouco mais difícil...

Nela disse...

Ah, esqueci-me de dizer: gosto de ti!

Anónimo disse...

ora...sabias palavras as da nela...para que queres tu voltar ao que jaa foste se sabes que se voltasses, nunca conseguirias ser o q foste porque o tempo e o estado nao se repetem, renovam se, mudam e reconvertem se em algo distinto, diferente!!No segundo que se segue ja estas outra, com as memorias de ti, portanto mais consciente do que realmente importa: tu e os que amas!
Nostalgias??? so para sorrir nunca para amargar!
Beijocas (confucio tera dito qq coisa mais profunda,mas....nao me soprou melhor ao ouvido!!)
a oriental

Natália disse...

Beijinhos

Cidália disse...

Saudades do passado !!!
MUITAS MUITAS MUITAS...

Não tinhamos as nossas filhas nem muitos amigos que ao longo do tempo fomos guardando...

mas tal como tu, muitas saudades dos bons tempos que passmos, sem compromissos e sem responsabilidades!!!

Fica o carinho e amizade por esses tempos fantásticos.

beijos para ti


Saudades