quinta-feira, 13 de outubro de 2011

às voltas com os batoteiros


Desde o início de Agosto que a minha vida se sentou num carrossel. Voltas e voltas depois, que já enjoa, ele ainda não parou de rodar. Já sofri de angústia pré, durante e pós-exames; já fui operada; já recebi as análises com o seu resultado confuso e perturbador; já voltei várias vezes ao ponto de partida, onde torno a encontrar-me agora, mas pior, na companhia de uma cicatriz que não se faz esquecida. Comecei uma nova medicação (ontem), sem garantias nem de que venha a fazer o efeito pretendido, nem de que eu consiga arranjar forma de continuar a obtê-la, mas com a fé de que tudo irá correr pelo melhor e que, mesmo com algum sofrimento à mistura, o carrossel da minha vida, por muitas voltas que dê, não vai parar de girar tão cedo.

A morte da Fátima, uma mulher da minha idade (e sem cancro), foi mais uma prova (de quantas precisaremos?) de que somos todos sobreviventes de uma aventura na corda bamba, em que de vez em quando uns chegam mais depressa ao outro lado, voando por cima de quem segue mais devagar. Na certeza de que ao outro lado chegamos todos, bonito seria que fosse mesmo verdade que lá nos reencontramos com os batoteiros que nos vão passando à frente e que, num abraço apertado, lhes podemos ralhar pela partida que nos pregaram.

T.






15 comentários:

Anónimo disse...

Como sempre...fabuloso texto! Ralhemos, mas quanto mais tarde, melhor...
Já tomas??? Beijo grande se for a droga que penso, acho que é mesmo muito boa!!
Um beijo muito grande
TM

bibliotecla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Querida Teresa, tenho pensado nisso muitas vezes. Tenho sentido isso muitas vezes. O meu pai dizia que estava em primeiro lugar`, de um grupo, para chegar ao outro lado e afinal os amigos passaram-lhe todos à frente e ele resistiu a uma infinidade de doenças e maleitas. Foram 60 anos de resistência. É um valor que dá que pensar!!!!
Um beijinho muito grande!

Anónimo disse...

Madalena. Não foi de propósito...

Anónimo disse...

Mais um texto que merece ir para um livro.

Ninia disse...

Maria Guerra (Ninia)

Lina Querubim disse...

Verdade!!
Beijinhos

Ana Camões disse...

Gostei muito do que li!!!
Desejo que o teu carrossel não pare tão cedo!!!
Beijinhos grandes e boa recuperação!!!

Natália disse...

Beijinhos Teresa.

Anónimo disse...

!lindas palavras! obrigado por compartir-las!!

Guida Palhota disse...

Espetacular, querida TP!
E ainda bem que não és tu uma batoteirona incorrigível! LOL

Beijos & Beijos... Ilimitados

Anónimo disse...

❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤... 4EVER!

Janine disse...

..."somos todos sobreviventes de uma aventura na corda bamba"...
Lindo texto! Fabuloso...
Concordo que há textos aqui que mereciam ser publicados em papel, para não dizer todos...
Demonstra, mais uma vez, a pessoa fabulosa que é a TP.
Um beijinho grande, TP!

maguie disse...

és maravilhosa e eu adoro-te ❤❤
beijosss grandes
..

IsaLenca disse...

Que este carrossel dê muitas e muitas voltas e felicidade - mesmo que as vezes seja necessário mudar de carruagem.

Bjs