segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A minha verdade


As notícias da morte da Adelaide e da minha recidiva chegaram juntas, com a distância de pouco minutos. A nova medicação que me fez sonhar com um futuro melhor/maior começou no dia em que me despedi, pela última vez, da Fátima. Agora, sonho com as duas. Ontem, andaram à minha roda, chamaram por mim e disseram-me que estavam lá para me receber, que não tivesse medo... 
Vou gostar de revê-las e de poder reparar muito do que ficou por dizer entre nós. Não tenho medo do outro lado, aquele em que elas estão e, a fazer fé no meu sonho, parecem bem... 

Só tenho medo deste mundo que deixo e de como partirei. 
Do que terei de sofrer e fazer sofrer até lá, da dor e angústia que deixarei numa criança e quais as consequências que isso virá a ter na sua vida... As mães têm filhos para amá-los e cuidar deles, não para deixá-los quando ainda tudo está a começar nas suas vidas... Dói que se farta, dói muito mais do que os ossos e o resto que ainda venha a querer magoar-me. Nunca nada poderá doer mais do que isto, seja lá o que possa vir a ser. (Os mais crescidos terão de aguentar bravamente...)

O Júnior acha que o que eu sinto é um exagero, mas na minha verdade, não é. Há dois meses tirei uma mama (não sei porquê mas as pessoas parecem achar que isso não custa nada) e há um mês e meio que ando doente. Primeiro, com os efeitos secundários dos comprimidos, depois com uma constipação brutal que ainda não consegui curar totalmente (o ouvido direito "foi-se"), uma estomatite aftosa de alto gabarito que começa agora a dissipar-se e que me proporcionou alguns dias de incapacidade de engolir e comer sem dor e, ainda, um desarranjo intestinal com vários princípios e fins (foi ponto alto nos primeiros efeitos secundários do medicamento), até esta última vez, que ainda não terminou e que, podemos dizê-lo, atirou comigo ao chão, obrigando-me a dias e horas de náuseas, dores, sanita, noites sem dormir... 
Exagero, diz a minha verdade, que não é parva, é uma pessoa ser obrigada a passar por tudo isto pelas razões por que eu passo, ou seja, para sobreviver. 

E a minha cabeça entra em alerta vermelho e coloca amiúde a questão: será isto o princípio do fim?
À minha verdade, parece-lhe que sim, que está mais ou menos na hora. Diz-me ela que a maior parte das pessoas que encontram um cancro no estado de progressão em que eu dei com o meu, não andam por cá três anos depois felizes e contentes. Lembra-me ainda que, amanhã, na consulta, as análises, que já estão feitas, podem revelar uma de duas coisas: ou que o comprimido não está a fazer efeito; ou que até está mas o meu organismo não o tolera e qualquer infecção passa a ser um risco de vida. Ou as duas, sei lá. A minha verdade tem-me infernizado a vida com pareceres e dúvidas. E tem-me deixado triste e amargurada. A minha verdade não acredita em boas notícias amanhã. Era bem feito que se enganasse, para o Júnior lhe dizer "eu não te disse?".

Beijos,
T.






25 comentários:

Susana Neves disse...

Não consigo dizer nada Teresinha. Acho mesmo que não te deve apetecer ouvir nada.

Limito-me a dizer que fazes bem em desabafar; é muito lindo ser heroína, mas o sofrimento interior torna-se maior.

Seja como for, não resisto dizer "Eu acredito"

Beijinhos do tamanho do mundo

Maria de Lourdes disse...

Teresa
São momentos que só quem os vive sabe o quanto custa,mas tem esperança, que consigas melhoras que tanto precisas é o que te desejo: beijinhos
Maria de Lourdes

beatriz disse...

Minha querida Teresa,acredita que a Adelaide e a Fátima não te querem lá!, acredita que vais ter que sofrer todas as agruras de uma mãe de adolescente! que vais ter que levar com os maus feitios que as hormonas aos saltos provocam! que vais ter que levar com os namorados horrendos ( acharemos sempre que não prestam :)) que as nossas princesas vão arranjar! and so on so on!ah , já para não falar dos amuos e do s "eu é que sei" !
Ai vais ter que passar por isto vais!
Um beijo enorme

Anónimo disse...

Minha querida amiga, que triste ironia tu "botas" neste desabafo...Mas quem te disse, como podes intuir que isto é o principio duma outra fase, aquela que todas tememos que um dia chegue?? Não, Teresa, não é isso, pois seria muita coincidência que os teus intestinos se revoltassem, com um cancro e nessa revolta te dessem tanto que fazer. Acalma essa tua cândida ideia de que te estás a preparar, pois é muito pouco provável que seja mais do que simples efeito da medicação que fazes. E, se por acaso, te resolverem tirar a medicação, porque concluis que seguir-se-á o avançar das metástases??? Acalma-te, pois muito provavelmente cortam a medicação porque na relação dos efeitos que te causa com a certeza que impede a "eventualíssima" progressão da doença, vai ganhar o bom senso...que manda que as "quimios" não dêm cabo do paciente,principalmente sem garantia de que dão cabo do cancro. Vai confiante, agarra a Vida, pois ela não te está a fugir...está aí, bem ao pé de ti, com uma chama bem acesa e que vai durar como as pilhas duracel...Não quero ver discursos de aceitação, quando há tudo para viver..Um beijo grande!!
TM

ClaudiaV disse...

Eu vou acreditar que a tua verdade está errada! Sinto que ainda tens muita força dentro de ti. Um abraço e um beijinho muito fofinho.

Lina Querubim disse...

Eu também quero acreditar que vai estar tudo bem, que os comprimidos estão a fazer o seu trabalho lindamente.
Eu acredito que ainda vais viver muito mais!!! E vamos rir muito :)adoro-te!!!

Anónimo disse...

Mana, não penses assim... a partir de amanhã saberemos a verdade, mas até lá, que já falta tão pouco, acredita... não deixes a tua cabeça inundar-se com coisas que ainda não aconteceram, ou pelo menos ainda não sabemos...
Concordo que a Fátima e a Adelaide não te querem ao pé delas, apenas te mostram que estão contigo, que te estão a ajudar e que não tenhas medo... só isso, medo no geral.
Só temos dois tipos de emoções, o medo e o amor, tudo o resto são derivantes dessas duas...
Para terminar faço das palavras da Teresa M as minhas.
Estamos todos a torcer por ti, e ninguém acredita nessa tua verdade!
Espero boas notícias amanhã
Beijos querida

Natália disse...

Teresa que mais te posso eu dizer!
Acredita que vais conseguir ultrapassar isto tudo...ACREDITA.
Os sonhos é o teu cérebro que anda sempre a pensar nisso e depois de noite sonhas,quando me apareceu o cancro eu também tinha muitos sonhos desses,é o nosso medo,não é nada mais do que isso.

E como a nossa gémea diz:
Eu acredito que ainda vais viver muito mais!!! E vamos rir muito :)adoro-te!!!

Beijinhos querida amiga.
Amanhã vais ter boas noticias.

Anónimo disse...

mana, podias ter posto a terceira possibilidade, que por acaso é até a melhor de todas e também bem possível... o medicamento estar a fazer efeito... ❤

ERG disse...

Querida T., concordo em absoluto com a TM e com MJ; A Fátima e a Adelaide não te querem lá, vieram apenas dizer-te para não teres medo porque estão lá a torcer por ti e a dar-te força. Concordo com a MJ quando diz que devias ter colocado a terceira hipótese; a medicação está a fazer efeito e a expulsar toda a porcaria e o bicharoco vai junto.
Acredita no que a Beatriz te diz; vais mesmo ter de gramar com os amuos, mau feitio, namorados horrorosos e os "eu é que sei" todos! Tens tudo para viver.
O medo é mau conselheiro e bandido como é, deve ter raptado a tua verdadeira Verdade! Essa é uma mentirosa travestida de Verdade!
Eu acredito T., acredito que o teu amanhã será um dia muito melhor e que vais ter boas noticias.
Um beijo muito grande e empresto-te a minha força. Vai agarradinha a ti.<3

angelina disse...

Beijinhos Teresa

Anónimo disse...

Ninguem é dono da Verdade , nem mesmo essa ''tua verdade '' ...
Eu acredito !!!
Beijinhos de LUZ
Natalia Neves

Anónimo disse...

!Força! !Força! e mais forçaaa!!! vai ver que terá boas noticias!!!
Boa Sorte na consulta!!!!
Francisco De Oliveira

Nela disse...

Estou a olhar para este post teu (que já li duas vezes) e a pensar no que te hei-de responder... E ainda nada... Se eu estivesse na tua situação (e, felizmente, não estou) e soubesse escrever como tu (o que, infelizmente, não sei), provavelmente, diria o que tu disseste.
As tuas Adelaide e Fátima estão bem. Isso tu já viste. Chamam por ti porque ainda estão vivas (e estarão, pela eternidade) e demonstram-te que a vossa relação perdura e perdurará. Se é altura de ir ter com elas, não sei. Mas uma coisa sei: é que tu também não sabes.
E eu gosto mais da terceira hipótese que não escreveste: que o medicamento te faz efeito e que vais conseguir controlar essa doença.
Tá??? Pode ser??? A Adelaide e a Fátima esperam só mais um bocadinho, sim? Tempo não lhes falta. E a aqui, tu fazes falta!

maguie disse...

Beijos.. não consigo dizer mais nada
..

laura disse...

Não sei o que escrever.
Desabafaste.
Mas não estou bem com o que li.
quero acreditar que foi só um exercício de meditação num momento de desalento.
temos de aceitar o pior, mas também acreditar na nossa posssibilidade de aceitar o melhor mesmo quando todas as hipóteses parecem ser as piores.
Os que verdadeiramente te adoram querem ler outro texto.
Seems to love you!
laura

Anónimo disse...

É com algum receio que lhe escrevo… principalmente porque não quero parecer intrusa… passo a explicar: sou a Carla, mãe da Maria Vendas, colega da Joana na escola. Descobri o seu blogue já há algum tempo por mero acaso, julgo que através do “Super Glamorosas” que acompanhava. Escrevo-lhe pq depois de a ler senti vontade de lhe contar um “pequeno” detalhe que me parece grandioso. Numa das conversas que tive com a Maria sobre o facto de ela não poder sofrer tanto antecipadamente com os testes e de toda a ansiedade à volta da "coisa" ela disse-me “ sabes, gostava de ser como a Joana. Ela é tão descontraída, anda sempre tão bem disposta”. E eu só lhe consegui dizer “É?! Pois… aprende com ela… “ e até me emocionei porque por acaso sei o que está por detrás da Joana (obviamente que nunca contei à Maria) e acho de uma grandiosidade extrema conseguir ter uma filha tão querida, tão feliz com a vida. Sei que a Joana não é das melhores amigas da Maria e por isso ainda dei mais valor ao que disse. Foi completamente inocente e dito com toda a sinceridade. Admiro-a muito, muito e não consigo imaginar o que sente…
bjs
Carla Veiga

cilinha disse...

Eu ontem ja li e reli e voltei a ler estas tuas palavras e comentei , so que nao sei o que se passava que nao conseguia comentar...mas depois de ler todos estes comentarios ja nao tenho palavras ,pois estou de acordo com tudo o que se disse aqui ,e estou confiante que a "tua verdade" esta enganada ... eu ACREDITO e tu tambem tens de ACREDITAR ...
BEIJINHO MUITO GRANDE

Guida Palhota disse...

Teresa,

Eu também já li e reli o teu desabafo. Mas ainda não tinha conseguido dispor-me a escrever-te, porque sinto um nó na garganta... Tu sabes porquê.
Mas veio-me agora a coragem e foi deixá-la falar...
Quero dizer-te que gosto muito de ti, que te admiro e que acredito na tua força e na tua vitória. Tudo o que eu possa dizer não passará de um conjunto de lugares-comuns, mas não fico bem comigo se não te disser que essa história dos anos que as pessoas andam cá depois de um diagnóstico mau não é a história a que deves dar atenção. Há a outra..., aquela em que são os próprios médicos que tentam "desenganar" os doentes ou as suas famílias e avançam com uma verdade tão poucochinha que os doentes se põem logo a apontar-lhes o dedo e a dizer:
- Você nem pense nisso, ouviu? Tenho os filhos para ver crescer, os amigos para apoiar, a casa para acabar, a pessoa que me ama para se rir comigo; tenho o mundo para visitar, o ar puro para respirar, emoções para partilhar..., e você diz-me que só vou durar esse tempo?! Não. Consigo não quero mais nada, eu não sou uma pessoa pessimista nem resignada. Anote aí que eu já estou a lutar e que só admito vencer, o que quer dizer que só abalo depois de sentir que fiz tudo aquilo que queria.

Querida Teresa, uma mulher cheia de planos, como tu, planos belos e louváveis, é uma fonte de energia positiva e vai até onde os outros nem ousam imaginar. Tu vais lá chegar e havemos de festejar a tua vitória. Mas, no entretanto, festejemos também a tua garra e brindemos à amizade!

Um beijo caloroso
do tamanho do mundo e da vida que te espera

P.S. Perdoa-me, se puderes, aquilo em que te fiz sentir mal, e acredita que eu não acredito na tua verdade... *___*

muita esperanca disse...

Ola Teresa ,So te quero dizer que tenhas muita forca e muita esperanca ,imagino que nao deve ser facil,mas concordo pelnamente com tudo que aqui ja foi dito por isso estou confiante que essa "tua verdeade"esta enganada ...
Muitos beijinhos daqui do Canada !!

Ana Paula Rosa disse...

Teresinha não sei o que te dizer, as lágrimas teimam em cair pela cara. Só estive pessoalmente contigo uma vez, mas não sei porquê gostei e gosto muito de ti. ACREDITA que melhores dias virão. Beijos

gabriela disse...

Ó minha amiga não quero acreditar no que li, estás revoltada eu sei mas acredita que vais ficar boa tens que ser positiva, não te entregues assim tão facilmente.Luta, sê positiva por ti e pelos teus, não sei o que escrever mais eu tenho fé e tu vais entrar nas minhas orações.Quero que saibas que gosto muito de ti um beijo grande e força

Anónimo disse...

Que mensagens mais bonitas...querida amiga, a tua garra alcança tudo e todos!!! adorei as notícias de hoje e adoro saber que estás novamente "up"...beijos amiga
TM

Alda disse...

Eu acredito que vais vencer esta batalha!
Um beijo de luz!

Paula Silva disse...

Paz eterna à sua alma Teresa, poderá agora rever as suas amigas que partiram antes de si, os que cá ficam vão continuar a seguir em frente com a vida você deixou-lhes o mais precioso bem que alguém pode deixar a um filho, os valores morais, a educação que receberam, para onde quer que você tenha ido você irá zelar por eles lá do alto do firmamento