quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Os à volta

Há o doente, e há os outros, os à volta do doente. Há aquele que passa por elas e há os que sofrem sem saber o que sente quem passa por elas. Há o que normalmente sabe mais do que os outros mas não conta tudo, pelo menos não conta antes de sentir que está pronto para o fazer. Dos outros, há os que esperam por notícias, e aqueles que estão sempre a perguntar aquilo que nem o doente sabe, ou saberá. E também, claro, aquilo que ele ainda não quer dizer.
O doente tem a mania que ele é o que sofre mais mas também não sabe o que sofrem os outros, os à volta.
Há uns à volta que irritam o doente porque acham, ou dizem, que está sempre tudo bem e assim continuará até à eternidade. Há outros que irritam porque vivem num sobressalto igual ou maior do que o do doente, porque a ignorância também pode ser muito assustadora. Há ainda outros que ninguém sabe o que sentem, muito provavelmente nem eles próprios, e isso também irrita, em especial quando é exatamente a esses que o doente quer contar alguma coisa primeiro...
Se perguntam, é porque perguntam, se não é porque não, se são optimistas, não, se são pessimistas, também não, se falam é porque falam e se estão calados é porque estão calados... ok, às vezes também não sei o que sinto mas sei que eu não queria nada ser alguns dos outros, dos à volta. Haveria de ser, à minha maneira, igualmente irritante...

E, por fim, a reflexão primeira: o que seria de mim sem esta malta à volta?

T.

E depois há as outras à volta, a bandidagem toda que, infelizmente para elas, sabem bem o que sinto, o que não sinto, e tudo e mais alguma coisa...




10 comentários:

Lucinda Maria disse...

Grandalhona, gostei do que li, mas gosto muito mais de ti.

Natália disse...

E a bandidagem também te irrita?
Algumas ás vezes irritam não é?
Mas não é de propósito eheheheh,é que algumas têm mau feitio.
Beijinhos e não te irrites.
♥ ♥ ♥

O Sexo e a Idade disse...

E gostamos de ti pois então!

Madalena disse...

Deixo-te beijinhos com esperança de não te irritar nunca....

matamari disse...

Já me ri com este post por me ter reconhecido nele. Fico contente por saber que não sou a única a irritar-me com a malta à volta, que também adoro :-p
Força aí.

ClaudiaV disse...

Beijinhos e um xi-coração!!! :)

Anónimo disse...

Eu sou daquelas que me irrito com a bandidagem que anda por aí...

Aqueles e aquelas que passam e não me perguntam pelo meu filho...

Entendem-me, amigas?

Doi.

Anónimo disse...

Gosto:)
Também sou bandida...
Is@

Anónimo disse...

gosto e não sei onde me encaixo e...acredita: iiiirrrrita!!!
telefono, népias...pronto, não repito...sou das otimistas e gosto de o reafirmar...pronto, não repito! pessimista q.b., no que a mim respeita....essa não depende de mim, decididamente!
Não sou bandida...logo, concluo: irrito em doses exorbitantes...é melhor ficar no meu canto...
TM

Anónimo disse...

Ola TP

gostei muito do que escreveste e revejo-me tanto no que dizes sentir...
nao sei se sou bandida (???), apesar de o estupido bicho me ter tb tentado matar...mas duvidas que sou das "irritantes" que querem muito saber de ti, não tenho!!!
beijocas gds
angela marinheiro