sábado, 8 de dezembro de 2012

A hora da sorte

Este final de ano tem sido pesado. A crise, pelos que dela sofrem ou se dizem sofrer, carrega forte naqueles que trabalham, retirando-lhes rendimentos ou mesmo, o próprio trabalho.
As empresas reduzem, fecham, o comércio dá de si, nós damos de nós, e o sentimento de perda generaliza-se.
Quando isto se junta a outras dores, como a falta de saúde, pode dizer-se que está o caldo entornado. Desta vez, até os antidepressivos tardam a impor-se e cumprem, também eles, só os mínimos olímpicos. Não há espaço para alegrias, já nem os quimicos colaboram.


Nesta situação, vejo-me obrigada a fazer fé num ano que termina no número 13. E nem deve ser preciso ser-se supersticioso, e eu não sou, para se ver logo que no próximo ano tudo o que devemos incluir nas nossas preces é, tão só, SORTE.

Wish me luck, que é o meu voto para todos vós.

T.




7 comentários:

Guida Palhota disse...

Muita, muita, muita SORTE para ti, minha querida Teresa!

*___*

Anónimo disse...

A sorte... todos temos momentos de sorte e....desânimo porque à falta de melhor, do concreto, clamamos por sorte! Eu desejo-te o "teu pedido concreto", a sorte virá só por acréscimo!! alguns dizem que não passaremos 21 deste ano....se o ultrapassarmos, foi por sorte??? Hoje estou cinzenta, sem ânimo e não peço sorte...
Um beijo minha querida amiga, pois és mesmo muito querida!

Lina Querubim disse...

Boa sorte!
Mas atenção que não é nº 13 é o 2013 faz toda a diferença ;) beijinho

Anónimo disse...

♥♥♥

maguie disse...

good luck my darling
bjs

ClaudiaV disse...

Muita Sorte Teresinha! :)

Isabel Canha disse...

Muita sorte neste e nos anos vindouros, querida amiga!