quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Cateter Hermès


É de silicone e serve para, por altura da quimioterapia, não ter de ser picada da forma habitual, pouco saudável para os meus frágeis bracinhos. A medicação entra directamente nas veias através desta bela peça que é o catéter. (Vão-se habituando a este palavreado...) O preço da peça e da instalação, na zona do pescoço, é que faz dele um objecto de luxo: foi caro!! É Polysite, mas bem podia ser Hermès! Posso adiantar que custou um bocadinho a pôr, até porque eu sou um pouco mariquinhas, mas o médico era bom, espero, e simpático, de certeza, o que ajudou. Em mais ou menos meia-hora espero ter comprado algum conforto futuro. Hoje ainda estou com falta de mobilidade, mas sem dores, que é o mais importante. A foto é de hoje.

Não consegui a credencial para continuar o tratamento na CUF e vou ter de ir para o São Francisco Xavier. A boa notícia é que parece que aquilo é bom. Marcaram-me uma consulta em dois dias! E uma voz simpática telefona a avisar. Ao mesmo tempo, o médico de família recebe a informação no seu computador! Não é espantoso? Se a primeira impressão conta como se diz, foi boa. O serviço fica na ala nova do hospital e tem um excelente aspecto. E ainda... segundo o combinado, mantenho a mesma médica.

O primeiro tratamento para a recuperação das lesões ósseas começou na sexta-feira passada. É também pelas veia, de futuro deverá ser pelo cateter. Terá de ser feito uma vez por mês. Causou dores algo fortes no corpo durante apenas dois dias e a seguir acho que reduziu um pouco as anteriores. Saldo positivo, portanto.

E pronto, por hoje é tudo, que já estou a mexer demais o braço direito. Beijinhos

Sem comentários: