domingo, 28 de setembro de 2008

Prontos


Pelo segundo ano seguido, o meu IRS não aparece no sítio da DGCI com tendo sido entregue. Da Segurança Social de Sintra (?), escrevem-me a dizer que não tenho direito a baixa porque não descontei nos últimos seis meses e a Multicare acordou para o facto de ter mais uma segurada com cancro, e vamos lá dificultar os pagamentos a esta. Para comparticiparem actos médicos que ainda fiz na CUF(e não paguei) estão a pedir relatórios de médico de família, exames e exames e exames. Resumindo, a devolução de IRS a que tenho direito não chega, a baixa anda por aí às voltas (para quem não saiba, vai directamente do computador do médico para a Segurança Social sem passar pela casa da partida, que é, no nosso caso, ainda, a Caixa dos Jornalistas) e os tipos dos seguros começam a revelar a sua verdadeira essência...

Mas nada disto realmente me interessa. O que conta, para já, é que os efeitos secundários da quimioterapia estão, aparentemente, a esbater-se. Na realidade, tenho medo de fazer grandes juízos de valor sobre a grandeza ou pequenez dos sintomas. Se digo que estão a terminar, eles podem voltar, se digo que estou muito mal, se calhar não estou, e no dia seguinte descubro o que não quero. Enfim, fico sempre na dúvida sobre o que achar do modo como me sinto. Quero ser modesta no sofrimento. Tenho sempre em mente os relatos de horror que já me chegaram aos ouvidos ou que li na internet e o que posso dizer é que, apesar de tudo, e até agora, me sinto uma felizarda.

E prontos. Dormi bem, deixei o anti-naúseas, vou fazer a minha caminhada diária e estou pronta para um domingo tranquilo. Venha ele.

Beijos a todos e muito obrigada por continuarem a querer saber de mim e a darem-me tantos mimos.

T.

11 comentários:

Anónimo disse...

Olá bom dia querida, é bom saber que vais passando melhor,gostei de ver o desenho da Jo esta muito bonito.passem bem o dia o tempo aqui esta de chuva.beijos grandes amor
nina

Ninia disse...

Bom, na verdade os processos burocáticos sempre correm mal quando nós precisamos que estes estejam certos. E, amiga, a ti estas coisas correm ainda pior? Porque será? :-)
Quanto às seguradoras não há nada de novo.
Mas como dizes, essas ninharias não interessam nada. Já sabes se precisares de €€€€, podes pedir ...
....
à tua mãe, ao teu pai, e tal. :-p

Anónimo disse...

Onde andará o teu dinheirinho, aquele que te tiram do ordenado... olha mana faço umas sopas óptimas e um quartinho cá em casa também se arranja...:-)
como diz a nossa avó, ao final tudo acabará em bem...
um beijo enorme desta tua irmã antigamente mais nova, ciumenta :-)
beijo, e até amanhã
m

pnv disse...

O costume. Não há pachorra para estas burocracias e muito menos quando desorganizadas e incompetentes.
O que conta mesmo é que te sintas bem e com força. Quanto ao dinheiro escusas de pedir aos teus pais, pois tens sempre alguém que te ajudará...... os teus avós, por exemplo.

Ninia: sul ou oeste da china não interessa. O que importa é que hoje a tua afilhada matou saudades tuas...

jorge disse...

TODOS POR TI A FAZER MUITAAAAA FORÇAAAAAAA

beatriz disse...

Na CUF não pagues nada! e refila sempre! quando estive internada ( a patinar, não sei se soubeste) recebi a minha parte para pagar e questionei a conta (estavam lá exames que não fiz...) e acabaram por me dar razão e a conta diminuir, andei um ano nstas andanças!mas nunca lá fui, tratava de tudo pelo telefone( a seguradora também andou com merdas, eles, hospital, é que teem que justificar perante a seguradora o porque dos exames, medicamentos, operações etc, mas é entre eles, se tudo foi feito lá, com médicos deles etc tu não tens que te meter! a CUF é que tem que resolver ou então fica a arder com a parte da seguradora. tu respondes por 10% certo, eu tb tinha multicare e foi 10%, dos problemas deles não quis nem saber! Um beijo grande e como dizem os NA "Só por hoje" estou bem ! e isso é o importante! beatriz

Anónimo disse...

Olá. Teresa. Fiquei muito triste por ti. Estou muito contente por ver a tua racionalidade e determinação em venceres esta etapa da tua vida. E como tu própria dizes - "acredito piamente que vou superar esta etapa - prefiro assim; como todos vós, também eu não sei quando e como vou morrer." É mesmo assim, sem qualquer futurismo infundado. Tenta é não recolheres informação que não te serve para nada, antes pelo contrário... Beijos grandes da família Guerra/Gaspar
Lígia.
PS. Estou muito feliz pela minha irmã

teresa disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Por favor, poupem-nos a referências ao dinheiro. Esse não é, infelizmente, o problema da Teresa. Não estamos a falar de despesas desnecessárias ou de caprichos tontos, mas de um investimento fundamental. O que o dinheiro puder pagar, ela não precisa de se preocupar - terá.
A.

pocahontas disse...

Esse prontos fez-me lembrar aquele teu amigo. Gostavas tanto quando ele no fim da conversa te piscava o olho e deleitavas-te com o seu fantástico okidoki no fim de cada frase.
Beijoooooooooooo

Teresa disse...

Que saudades desse amigo tão giro...