quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Obrigada a todos





Foto 1 - Algumas das lindas meninas da Arte com o seu "Macielzinho" (argh!!)
Foto 2- A directora, que me possibilita continuar a viver uma vida de gente. Sem o seu apoio incondicional (e da Clara, do Eduardo e depois das mais altas instâncias), desde o primeiro minuto, já estaria num hospital psiquiátrico
Foto 3 - A querida editora...
São só alguns bons exemplos de muitas das pessoas que acreditam em mim e na minha capacidade de lutar, que compreendem a minha necessidade de descansar e não poder estar sempre presente, que me mimam sem deixarem de me respeitar profissionalmente e de darem o seu melhor nas nossas revistas. E são muitas.


Mas vamos ao dia: estou um pouco melhor hoje, graças aos conselhos da dra. Manuela, que segui à risca. Ainda assim, as aftas são violentas e incomodam imenso. E ainda não me livrei delas...
Bom, mas como hoje já conseguia falar sem me babar, ainda que apresentasse um sotaque esquisito, de que certas e determinadas pessoas não tiveram vergonha de se rir, fui trabalhar. Gosto de trabalhar, pronto. Há que dizê-lo com toda a frontalidade. Se calhar gostaria ainda mais se fizesse outras coisas que porventura não incluíssem personalidades como Carolina Salgado ou Elsa Raposo, entre outros cromos. Se me saísse o Euromilhões, talvez até gostasse mais de não trabalhar em lado nenhum, não sei (mas duvido). O que posso dizer é que os meus colegas e a prima chefe são pessoas fantásticas, de desde o minuto em que chego até àquele em que me expulsam dali para fora, fazem tudo para me sentir bem. E nem precisavam, que eu só de vê-los, fico logo mais animada.
O que seria de mim sem ter sabido, logo à chegada, de pormenores das vidas dos filhotes das adoráveis meninas da Arte? E ainda almocei uma sopinha feita pela minha Lígia, que é um incansável anjo da guarda. Obrigada a todos, vocês são fantásticos!... E uma palavra de apreço aos colegas de outros departamentos, que não conheço tão bem, mas que me mandam mensagens e param para me dar um abraço sentido (Margarida, Bibi, Cláudia, Rosa, Inês...). Também a eles, um grande bem-haja. Da força que recebo, da família, dos amigos, de conhecidos, faço eu a minha. E com este cliché, o mais elaborado que a minha capacidade intelectual permite (por culpa das aftas, de certeza), me despeço até ao próximo programa.
Beijocas,
T.

Para finalizar, deixo uma foto que a querida editora me enviou, que deve simbolizar, de forma muito clara, a minha relação com a peruca nestes dias de ventania...

7 comentários:

Rita disse...

É isso mesmo. Da rede de boas energias vais criando a tua. E acredita que o que não faltam são boas vibrações, todas encaminhadas para ti. Com esta força vais conseguir derrotar o bicho. No que depender do amor que sentem todos os que te rodeiam, estás safa.
E quanto ao sotaque, desculpa lá, mas estava melhor do que qualquer um dos que o Paulo Pires faz na novela da TVI...
bjs

Ninia disse...

Como amiga da T, agradeço eu também a todos os colegas e amigos que a ajudam de tantas e tão diversas formas.
Estando longe, descansa-me saber que a T tem todo o vosso apoio.
Um bem-haja a todos.

Anónimo disse...

Querida directora: por nós estás safa disso. Pelo que me toca, podes sempre contar comigo. Pronto, ok! Vou continuar a chatear para gastar dinheirinho. Mas acho que melhorei nesse departamento, hã!? A imagem do cão não chega para dispensar os teus relatos.

Ah! Só mais uma coisa, gosto de saber que gostas de nos ver :)

beijos. Força. xau-xau, até amanhã, até amanhã

Anónimo disse...

Agradeço também a todos. Sem a vossa solidariedade, o sonho da plena recuperação da T. dificilmente se tornaria realidade. A.

Ligia disse...

Amei a foto do cão e soltei uma sonora gargalhada.E quanto à sopinha, minha amiga, um dia ainda vou abrir um quiosque zito e começo a fazer negócio. Foi uma grande amiga que me sugeriu...
Mil beijos da tua macaca (leia-se: Anjo da Guarda)que te admira muito e quer tanto bem

Filomena disse...

Miúda!!! Hoje caio eu aqui de pára-quedas, que te tenho lido, mas não tenho digitado nada. Também te digo a verdade: não ando com nada de jeito para dizer. E nunca mais me esqueci do filme Bambi e do conselho do pai do Tambor: se não tiveres nada de bom para dizer, não digas nada. E olha, tenho-me limitado a ler-te. É, de resto, sempre um prazer, que continuo na minha: lá que escreves bem, escreves!
Quanto às vibrações, apesar de estar longe vou-te enviando algumas telepaticamente, que quero sentir-te aí cheia de tudo.
Amor para ti! Um montão!
Bjs. Filó

Ana Almeida disse...

Então Teresinha (ahahahah) gostei do "argh!!", pois deixa-me dizer-te que hoje em particular as "calhandreiras" de serviço só teçeram boas "calhandrices" a teu respeito... é verdade! Ver-te chegar à redacção de cabelo apanhado, "fica mesmo bem" comentamos nós,e vestida de cor-de-rosa, "a Teresa hoje tá gira!" dizia a Paulinha, sabes como este comentário tem importância, vindo de quem vem não é?? beijinhos