terça-feira, 11 de novembro de 2008

Missão: arrumar!


Juntar tralha, muita tralha. Basta olhar para a foto do meu espaço de trabalho para se perceber quantas coisas considero demasiado importantes para deitar no lixo. Mas depois ficam ali séculos, provando o erro, dia após dia, mês após mês, algumas até com direito a anos, tenho a certeza. Em casa, mais do mesmo. Quando é tempo de mudar de poiso é sempre com surpresa que nos deparamos com milhões de pertences que vamos acumulando de forma, poderia dizer-se, compulsiva. Isto não acontece só comigo, pois não?
Só que, desde os primeiros momentos em que descobri que não sou imortal e que, na guerra com o inimigo, em princípio, uma das duas partes perde, que não me sai da cabeça a ideia de arrumar a casa. Não quero ninguém a fazer isso por mim. E assim tem sido nos últimos meses. Muitos sacos de brinquedos e roupas da Jo seguem na próxima semana para uma instituição infantil, roupas e botas que não são usadas há mil anos seguiram para quem precisar em Canas de Senhorim, e assim, a pouco e pouco, começa a reinar alguma ordem. Os armários estão impecáveis: roupa de Inverno a uso, roupa de Verão bem arrumadinha, os sapatos imaculados numas caixas próprias da IKEA... As lembranças mais marcantes da Joana - chucha, primeiro bibe, e milhentas outras graças (a que ela mais tarde dedicará o devido desinteresse) estão bem acondicionadas numa caixa (com etiqueta!). Os documentos médicos desta desgraça estão todos arquivados e junto aos exames. Ainda falta muito, mas a missão está a cumprir-se. Daqui a uns meses esta casa estará livre de muitas inutilidades. A seguir, temos a garagem, que tem tralha+pó para complicar e, num dia longínquo, se eu a ele tiver direito, ainda arrumo a secretária lá na redacção...

Afinal, a consulta de apoio psicológico é só amanhã. Fui eu para Lisboa (que para mim é um esforço quase tão grande como viajar até ao Porto), debalde. Mas, mais uma lição, aceitei as desculpas pelo erro na marcação e voltei para casa tranquilamente, no meio de um trânsito medonho. Há coisas que não têm mesmo importância nenhuma, mas a malta às vezes não sabe disso a tempo. E ainda lhes sorri: "Não faz mal. Até amanhã, (se Deus quiser)".

Beijocas.

7 comentários:

Anónimo disse...

Arruma tudo muito arrumadinho. Dá, deita fora, não interessa, o importante é veres-te livre dos monos que não nos fazem falta nenhuma e só ocupam espaço...
Vais ver que ao final tudo vai passar a correr melhor na tua vida, é verdade... eu mudei de casa, deitei metade da minha vida fora, e melhorou tudo bastante... apesar de me parecer que ainda tenho que me livrar de algumas coisinhas mais...:-)
E fica tranquila que vais ter oportunidade de arrumar a tua secretária, vais ter muito tempo...
beijos e boa consulta hoje
m

Anónimo disse...

Deita fora tudo que já não uses e não gostas. porque quando puderes e quizeres vamos ás compras para renovar o stok.
Boa consulta, beijos grandes amor
nina

Fipas disse...

E fazes muito bem. É um processo de libertação espectacular! Não carregamos com a tralha, mas parece que ficamos mais leves, parece que a casa fica mais bonita, mais espaçosa sem aquelas pequenas tralhas que ocupam espaço físico e psico.

Ainda ontem foram roupas de verão e inverno arrumadas, sacos para o lixo e sacos para dar. Além de arrumarmos a vida, dá mais vontade de vivê-la!

O teu passo seguinte então é a do trabalho, mas...deixo-te aqui uma frase que tinha num cartaz na minha secretária de teenager que o meu pai sabiamente me ofereceu:
- "A clean desk is a sign of a sick mind.." SÁBIO!

Por isso, vai arrumando o teu cantinho em casa que é o teu mundo e o vosso ninho :)

Mil beijinhos e boa consulta!

Ninia disse...

A minha alma está parva!!!
Eu e mais uns quantos somos testemunhas do que havia e do que deitamos fora em diversas mudanças da Teresa.
Mas não só. A garagem da avó Elisa rtambém deu muita luta.

Um dia conto tudo.

Anónimo disse...

E não viste tu a mudança de minha casa... é um mal de família do lado materno... :-)
Mas pelos vistos as manas estão a melhorar... Lixo com o lixo!!!...
:-)
m

Anónimo disse...

Ainda hà pouco tempo fiz o mesmo na minha casa. Dei bastantes sacos de roupa que já ninguém usa e só enchem os roupeiros.Infelizmente estou a fazer o mesmo na casa da minha mãe.
Mas agora o que interessa és tu.Penso que nesta fase deves fazer tudo o que te apetecer, é a maneira de te sentires melhor.Espero que continues com a boa disposiçao e a força que tenho
visto todos os dias no teu blog.

Estou contigo na tua luta.

Beijos grandes

São

Anónimo disse...

Às 8h04 desta manhã a autora deste blogue enviou-me um sms com uma energia de fazer inveja. E para que ela não me repreenda mais durante a madrugada (sim, que o meu despertador só tocou daí a 6 minutos) porque nunca mais escrevi, cá estou eu a deixar o meu registo. E prometo que me vou esforçar por deixar aqui mais comentários, desde que tenham algum (ainda que pouco como este) conteúdo.
Beijinhos
Sónia