segunda-feira, 2 de março de 2009

À espera...

E agora, tenho um blogue para alimentar e não tenho comidinha para lhe dar... Às vezes, muitas por acaso, a Joana também não tem nada para jantar. E lá se arranja. Como aqui, alguma coisa me há-de ocorrer.

Aguardo pelo chamado do IPO para a radioterapia. E ao fim de uma semana e meia de espera, resolvi ligar para lá. Dizem que demora três ou quatro semanas. Primeiro, só os casos urgentes. Eu não sou um caso urgente, sabiam? Tenho um cancro metastizado, mas ainda não estou a morrer, e como tal, primeiro vão os que estão piores do que eu. É justo, assim chego mais depressa aos casos graves e depois hei-de estar pior do que outros que vão continuar a esperar.

Como seria bom poder continuar o tratamento que está paradinho desde o início de Janeiro, sem ter de, primeiro, passar a caso grave.

De resto, sinto-me bem. Aproveito para trabalhar e esquecer que, lá por dentro, estou doente, já que por fora, ninguém o diz. Continuo gorda e com boas cores, sem dores nem achaques. O mais difícil é fazer dieta, ainda não consegui começar. Amanhã vou à natação e, quem sabe, dá-me a vontade de parar de comer tudo o que me aparece à frente. É mais um esperança. Talvez também telefonem do IPO.

Beijos,
Teresa

7 comentários:

Anónimo disse...

Boas notícias virão...
Nerm que para isso tenhamos que dar uma palavrinha ao tio Sócrates, (esta foi roubada, lol).
Boas cores tens de facto, e quanto ao resto, com esforço com certeza vai mudar... fecha a boca, fecha, fecha... se não aumentares já não é nada mau... digo eu...
Bom, vou mas é trabalhar, que não é para isto que me pagas...
Beijos grandes mana Grande
m

beatriz disse...

Teresa,
Precisas ou queres uma cunha? posso tentar.
beijos

Anónimo disse...

Olá Teresa. Impressionante o que aconteceu ao José Manuel Gaidão. Quando a Ana Maria Lucas teve o AVC, ele é que falou para os jornais e por esses dias, estava eu parada num sinal vermelho, na Av. da República, vi-o passar cheio de pressa, a correr, e pensei: lá vai o amigo da outra. No dia seguinte, leio no jornal que ele tinha tido um derrame cerebral e que estava em coma. Incrível! Aquele homem que passou a correr à frente do meu carro, já não era nada nesse dia à tarde.
Vale a pena pensar nisto.
Beijos
Sónia

Anónimo disse...

Goza a tranquilidade de estares de folga de tratamentos.
E fecha essa matraca!!!!!!!

Anónimo disse...

não fecha nada a matraca! E depois quem é que nos alimenta? hein? ai...
m

até aposto... :))

Fipas disse...

Força miga! Pensamento positivo e curte estes momentos de descanso dos tratamentos! Fala e escreve sempre que quiseres, mas sempre, sempre com pensamento positivo! Por alguma razão o blog te serve, quando esse pensamento está em baixo, os teus amigos e família vêm aqui pôr-te lá em cima! Esperemos!!! ahahah!!! Beijinhos gordos, como nós, ahahah, e.. tenho saudades vossas!

Ninia disse...

O "fecha a matraca" era para a comida!!!!!
Nunca para a sua superior eloquência.