sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Agora... descanso do descanso

Um raio de umas dores no corpo dominaram o dia, em especial a tarde. As pernas e os braços parece que se vão partir, ombros, mãos, dedos, pés, dentes, garganta, tudo dói... E de que maneira. Tenho a dizer que não são dores típicas da injecção dos glóbulos, à excepção das do pescoço e ombros. São muito mais fortes. Como se costuma dizer parece que fui atropelada por um rolo compressor (ao menos podia ficar espalmadinha LOL).
Bom, mas como de náuseas não ouvi nem falar, cá aguento as minhas maleitas e até mantenho alguma boa disposição. Agora vou descansar do descanso, pois não fiz praticamente nada o dia inteirinho.
Beijos para todos, bom fim de semana
T.

10 comentários:

Anónimo disse...

Espero que não seja nada... também estou assim... os pés parece que me vão cair, e doi-me os ombros, as costelas... tudo!!! Deve ser da idade... cheira-me a virose... a ver...
Amanhã vais estar melhor, e eu também, espero!!
Beijos e mais beijos, todos grandes, claro, mana Grande
m

TeresaM disse...

Toma qualquer coisa para as dores, não te baldas a uns analgésicos pois não??
Quando há dor, forte, é difícil dizer qualquer coisa, pois o que faz mesmo melhor: é um bom, forte e eficaz analgésico. De qualquer forma, tb estou com dores nas costas e nas pernas, penso que seja a mudança de tempo!
Um beijinho muito grande

Natália disse...

TERESA
Calminha isso deve ser da injecção
O que é isso de ficar espalmadinha
(CRUZES CREDO)

Teresa eu estou a brincar mas compreendo-a perfeitamente as injecções fazem muitas dores ,mas sabe isso é sinal que elas estão a fazer o trabalho delas.
Espero que essas dores passem depressa (não pode tomar um ben-u-ron?)e que tenha uma boa noite

beijinhos

Madalena disse...

Um beijinho, Teresa! Dorme bem!

Anónimo disse...

Talvez possas tomar um analgésico, a minha mãe tomava paracetamol.Mas o melhor mesmo é o descanso.Espero que duirante o fim de semana fiques melhor.
Bom fim de semana
Beijos muito grandes
São

Madalena disse...

'Tás melhor, Teresa? beijinhos

Anónimo disse...

Olá
Sou uma desconhecida que por acaso encontrou este Blog. Também eu já passei por uma experiência semelhante por 2 vezes; a primeira em 2004 e a segunda ainda este ano, devido a uma recidiva.
Curiosamente, tal como você, em 2004 tinha 41 anos e uma filha única de 4 anos. As sensações foram semelhantes e eu também pensava se conseguiria ver crescer a minha filha. Mas vi! Pelo menos até agora e espero continuar a ver. As dores musculares, as agonias, a falta de cabelo, sobrancelhas, pestanas, a queda das unhas, as áfetas, os disturbios intestinais, a leucopenia,uma mama a menos... e sei lá que mais, são um mal necessário mas depois esquecemos tudo! O que é preciso é viver, e você vai conseguir ultrapassar isso tudo! E já agora, quando estiver pior do estômago, o que é vulgar com a cortisona, experimente, para além do Omeprazol,o "Sucralfato Mylan 1g Suspensão Oral". Receitaram-me na Oncologia do CUF Descobertas, e eu dei-me bem.
Tem de continuar a sua luta, com uns dias mais deprimidos e outros em que tudo parece mais radioso mas a certa altura começa a parecer que ter cancro já não é uma coisa tão anormal e terrível. Habitua-se à ideia! Acredite.
Um beijinho grande
Cristina

TeresaM disse...

Grandes palavras Cristina, é isso que esta nossa Teresa precisa de ler, de muitas, muitas mulheres que como a Cristina, como eu, não são marinheiras de primeira viagem! Dá força vermos outras com recidivas, com quadros menos optimistas a dizerem que: OPTIMISMO SOMOS NÓS!!! E estarem aqui, a dizer que está tudo bem.
Um grande beijinho Teresa

Natália disse...

Olá Teresa

Como vai essa saúde?

Espero que tudo esteja bem e que malditas dores tenham passado.

Beijinhos e um XI-Coração para sua Menina.

Teresa disse...

Olá a todas. Obrigada pelas vossas mensagens. Isto desta vez está estranho com as dores, mas vocês dizem que é mesmo assim e eu quero acreditar nisso.
Obrigada, Cristina, pelo seu testemunho, tão importante nestes momentos de grandes incertezas. Apareça mais vezes.
Um beijo,
T.