sábado, 31 de julho de 2010

Mais férias... quero mais férias... por favor...


Como estou fartinha de saber, e de dizer, a energia já não é a mesma de AC. E agora que tenho de trabalhar mais por causa das férias dos colegas, é que vejo bem como isso é verdade. Foi uma semana de arrasar... e que ainda por cima terminou com a morte de um artista, o que me obrigou ontem a rever, ao minuto, o seu desaparecimento, entre dezenas de fotos de vida e carreira. Na segunda-feira continua, com fotos de velório, funeral, família, depoimentos de amigos... Faço este trabalho há muitos anos mas desta vez pesou como chumbo... Andou ali o homem um ano a desfigurar-se com a droga toda, a viajar para aqui e ali para novos tratamentos, sempre com uma força admirável e... nada! Não há como não nos tocar, a nós que sabemos bem o que isso é e a quem dizem que a cabeça comanda o corpo... pois, pois...
Pronto, mas o que eu queria mesmo era falar de praia, sol e alegria e o que tive este ano soube-me a pouco. Com a ideia de arrumar a casa (valeu mesmo a pena, não haja dúvidas) fiquei em Lisboa tempo demais e usufrui pouco do Algarve. Agora, espero ansiosamente por uma abertazinha no mapa de férias para poder dar mais uma escapadela. QUERO MAIS FÉRIAS!

Beijos e bom fim-de-semana
T.

7 comentários:

Madalena disse...

Querida Teresa, um beijinho. Vou ficar a "remoer" este post, a parte que dói, claro! e voltarei para te escrever mais qualquer coisa ou só para te mandar mais um beijinho. Ontem, por razões óbvias, "morreu" muita da esperança que depositávamos nesta ideia da cabeça comandar o corpo. Mas se pensares no Lance Armstrong (espero que se escreva assim!) voltas a acreditar nesta ideia. e eu conheço um caso de cancro de pâncreas que já leva dezassete ou dezoito anos de vida. Pelo sim, pelo não, é melhor acreditar!!!! Beijinhossssssssssssssssssssssssssss

Anónimo disse...

Teresa, não ignoramos que a doença mata, com "boa" ou "má" cabeça mas, enquanto a cabecinha estiver boa, vivemos o tempo que o tempo nos dá, da melhor maneira, sorrindo q.b, chorando para aliviar a alma, rindo com os que amamos, em suma, vivemos. E é só isso que queremos: viver, vivendo o melhor que nos for possível e, para isso, a cabecinha ajuda sim!! Vê como quase até ao fim, ele sorriu sempre! O António Feio foi sempre optimista porque enquanto há vida há esperança e enquanto esperamos...é melhor ir sorrindo!
TM

Gatapininha disse...

As meninas já disseram tudo. não podemos desanimar. Existem muitos casos com sucesso.
Jokas

maguie disse...

pois..... a parte triste temos de tentar esquecer, ou guardá-la no fundo do baú.....

feriassssss, eu tb quero!!!!!!

bom fim de semana
beijinhos

..

Natália disse...

Olá Teresa
Ontem doeu,doeu muito,para mim foi um dia terrivel,foi o Toni e foi um vizinho meu,passei tão mal que nem ao funeral consegui ir,foi o meu marido ,eu fiquei em casa,nem sei explicar como estava,nunca me tinha acontecido isto,sempre acompanhei todos os amigos ,ontem não consegui.

Beijinhos

Anónimo disse...

É estranho mas estamos mais fortes e mais frágeis do que nunca...
TP

O Baú do Xekim disse...

Olá Teresa.

Um refrescante domingo.

Beijinhos.