terça-feira, 27 de setembro de 2011

Está dito

Não foi fácil. Diria mesmo que foi bastante difícil. Mais complicado do que fazer esta cirurgia foi explicá-la à Joana. Andei durante dias a mastigar ideias e palavras, até que, chegou o momento. A pequena começou por corresponder muito bem, acabando depois por quebrar onde se revelou ser o limite natural da sua capacidade de criança de oito anos. Chorou o que tinha de chorar, disse o que sentia e, dez minutos depois... estava a andar de patins. Dormiu que nem uma pedra e acordou bem disposta.
Vamos vendo...
T.

9 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que assim foi... todos devíamos ter a capacidade das crianças, de só dar atenção às coisas naquele momento... ao invés de ficarmos a pensar e pensar e a pensar... oxalá ela não o faça e deixe a vida correr, que se Deus quiser há-de correr bem...
Beijos e mais beijos mana, vou andar de patins... :P

Anónimo disse...

já estou melhor..
fizeste bem, foi o vosso momento! ela tb sabe (pq te vê bem)que tudo vai correr bem...
Beijos
TM

Madalena disse...

Quem, melhor do que uma criança feliz, defende melhor o que é seu? A mãe da Jo é dela, pertence-lhe e está sempre presente. O essencial é a mãe! É ter segurança e tu dás-lhe essa segurança. TP, tu és mesmo grandona! Beijinhossssssss

Cinda disse...

Até mesmo uma adolescente em idade meia cofusa consegue dar a volta à situação, quando tem a certeza que a mãe vai estar a proteger e para isso há que ir em frente.
Todo o adulto deveria ter a capacidade de resolução de uma criança. Foi muito bom contares a verdade para que continue a confiar na mãe Grandalhona.
Bjs muitos.

Anónimo disse...

As crianças têm essa capacidade de nos surpreender SEMPRE. Mas concerteza na cabecinha dela o que mais interessa é mesmo "tenho a minha mãe comigo, o resto já não quero saber". Valente Joaninha que com essa atitude grandiosa deu um grande alento à mãe e a toda a família. beijinhos carla

Anónimo disse...

Sept. 28, wed.
oh minha amada amiga...i was in Brazil without a computer for the past month. Somehow, my electronics were fried in Abadiania. I come back and only now did I read your blog. Estou pegando bonde andando... Reading between the lines, you had surgery while I was devotedly praying for your wellbeing. May God have done what none of us could. Te Amo, fica bem porque eu volto pra te ver. ml

gabriela disse...

Coragem vai correr tudo bem amiga, e a Joaninha é uma menina inteligente, logo logo vão as duas andar de patins, beijokas e as melhoras

Graça disse...

Não há dúvida que as crianças são o MELHOR do mundo, por vezes surpreendem-nos com as suas atitudes,
Temos é que dizer-lhes sempre a verdade e usar as palavras certas na altura certa, e tenho a certeza que foi isso que fizeste Prima.
Tenho uma sobrinha da idade da Joanina, (na altura tinha 5 anos) e quando fiquei doente e sem cabelo, tentei esconder, achava que ia ficar chocada, mas ela sempre desconfiou, não me largava, sempre a fazer perguntas, e sempre a tentar espreitar por baixo do boné ou do lenço para ver... até que um dia eu e a milha irmã lhe explicamos tudo, mostrei-lhe a careca, a cicatriz, e ela sossegou. aceitou tudo muito bem e ficou tranquila. Beijinhos priminhas

Guida Palhota disse...

Muito bem, querida TP.
Os meus gémeos também tinham 8 anos quando me fizeram essa coisa... E também rolaram nos patins, depois de eu lhes dar a notícia...
Fizemos o que tinha de ser feito. E eles reagiram com a naturalidade das crianças da sua idade, cheias de vigor. E, como disse um dia o meu Miguel, quando eu e o pai partíamos para Lisboa, para a químio: "Quando este problema acabar, havemos de comemorar"! Regista, Teresinha.

Beijocas