quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Estupidamente feliz

Ultimamente, não tenho andado bem. A quem não o confessei, ando a fingir. E enquanto finjo, por vezes esqueço-me da representação e acabo por ficar bem disposta a sério. Mais à frente, minutos ou horas, recomeço este pequeno círculo de loucura.
À noite, quando me deito, estou cansada de tanta instabilidade emocional e, por isso e outras preocupações que me dominam enquanto o sol dá a volta, durmo mal.
E assim começa a bola de neve que só cresce, cresce, até esmagar.
Para ver se melhoro de ânimos e ponho o sono em ordem, fui à psiquiatra, uma amiga de qualquer doente de cancro que se preze. E trouxe de lá umas coisinhas que, a partir de amanhã, devem derreter o gelo e a neve e acabar com o peso da bola.

Uma ajudinha nunca fez mal a ninguém... até porque a dor da alma por vezes é mais insuportável do que todas as outras. Quero sentir-me feliz, quero lá saber se é estupidamente feliz...

T.

10 comentários:

Patrícia Pais disse...

Sim, é para isso que os psiquiatras existem, e a medicação também!
Eu também sou acompanhada por uma, que me quer "dar alta" desde junho, uma vez que não estou a fazer medicação.Mas eu não deixo... :) O meu argumento é sempre o mesmo: "Eu agora estou bem, mas não sei como vou ficar, por isso é melhor não arriscarmos!"
A médica ri-se, diz-me que queria ter muitos pacientes como eu e marca-me nova consulta!

Agora a minha nova prima, vai tomar as coisas direitinhas, está bem? Essa bola de neve tem de ser derretida como deve de ser!

Beijinho

Madalena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Madalena disse...

Teresa, não vale a pena sofrer, se houver algo que ajude. Foi o que eu também fiz. Mas só tenho cinco dias de drogas e isto só vai fazer efeito a partir do mês. Há sempre qualquer coisa que nos tira do sério e todo o desafogo emocional é temporário. Um beijinho grande

angelina disse...

❤❤❤

Susana Neves disse...

Fizeste muito bem em baixar a guarda e ir ao psiquiatra.

Muita felicidade, estúpida ou não

beijocas

Lina Querubim disse...

Como sabes faço parte das agarradas :p se é preciso temos que aceitar, Vais ver que a vida vai ter outra cor. Beijokas

O Sexo e a Idade disse...

Fizeste bem; às vezes é preciso ajuda quimica para derreter a neve que cai no coração.
Um beijo querida T.

Janine disse...

Um beijinho enorme, querida TP!
Saudades! ;)

Ana disse...

Olá Teresa muitos parabéns pelo blog,adorei, fez-me bem, "soube-me" bem...sou mais uma caloira nestas andanças do carcinoma invasivo da mama que na busca de respostas, de casos de sucesso, de alguém que já fosse uma "veterana" da coisa encontrei o seu blog, gostei.. fui lendo para tras... chorei, ri, identifiquei-me com uma série de coisas, de sentimentos, pensamentos... comecei a ler do inicio e foi como aquele livro que não se consegue largar só mais uma página antes de dormir, deixa só ver o resultado das análises...e li tudo, há 4 dias que leio :).
Espero muito sinceramente que continue a escrever pois eu continuarei a vir aqui lê-la, foi uma lufada de esperança que encontrei. Um grande beijinho Ana

Anónimo disse...

Mana, felicidade é preciso, com químicos ou sem químicos, eu gosto de químicos, às vezes sem eles a vida fica mesmo impossível...
vais ver que num instante tudo vai ficar mais leve e os momentos de "distracção" vão ser cada vez mais... e isso é o que importa distrair a mente...
Beijos meu amor,
m