quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Estrelinha

A sorte vai e vem, é boa e má, deve ser conforme lhe dá na telha, porque por merecimento não é certamente. E não falo por apenas por mim, a quem uma vez disseram que cada um tinha a sorte que merecia, e sei que haverá quem acredite nisso. Reservo-me o direito de acreditar piamente que não merecia ter cancro mas enfim, sabe-se lá qual é a bitola da sorte. E se não fosse eu, alguém mereceria?...

Quando andamos muito junto à sorte, ou à falta dela, conhecemos-lhe melhor os defeitos. E um deles é a pontaria nas escolhas. Pois se há, aos pontapés, gente má neste mundo, por que raio serão tantas as pessoas boas a sofrer das mais variadas dores e destinos? Mais uma vez, a pergunta não é para mim. Não tive sorte nisto mas tive e tenho noutras coisas e não pretendo queixar-me...


E por falar "nisto", e por falar em dores e destinos e, em especial por falar em sorte... hum... sinto a minha a querer largar-me. Corro atrás da estrelinha, sempre com medo que ela se apague e por vezes não a vejo a brilhar para mim. Estou à prova mas não sei o que fazer. Afinal, como se cuida da sorte?

T.



6 comentários:

Especialmente Gaspas disse...

Não sei responder à tua pergunta... Mas talvez cuidar dela com amor e carinho e acima de tudo acreditar que ela existe. Por acaso não gosto muito de falar em sorte e azar, costumo aplicar mais esses termos ao jogo. Prefiro falar em coisas boas e más, pensamentos bons e maus... Assim, espero que este teu ano seja cheio de coisas boas e pensamentos bons... ;)

Teresa disse...

Obrigada pela resposta. Boa forma de pensar. Eu tento; umas vezes resulta, outras não...
Agradeço e retribuo os votos!

Especialmente Gaspas disse...

;)

Anónimo disse...

Há sorte e azar sim, embora os cientistas gostem mais de falar em fenónemos aleatórios. É isso que se passa com a divisão celular que corre mal e resulta em cancro.
Temos milhões destas cenas a ocorrer a todo o segundo, mas só algumas degeneram. É só sorte ou só azar. Mais nada. E não tem nada de filosófico.
(Claro que há comportamentos que influenciam negativamente/positivamente, mas poucos são tão claros como o tabaco, por exemplo. De qualquer forma não ajudam aqui há minha argumentação :-))
Ninia

Anónimo disse...

"A vida está dividida entre o que nós somos e a sorte".
Cuida-se da vida com o que depende de nós (com o que somos, pensamos e fazemos de bom) e espera-se pela sorte.
Ninia

Madalena disse...

Continua a correr atrás da sorte, Teresa! Ela gosta disso. E não abandona quem a persegue. Vamos, Teresa! estou nesta corrida há 61 anos e mesmo quando parece pouco provável ela lá vem buscar-me e oferece-me forças ou outros instrumentos para confirmar a fama que tem de ajudar quem nela confia. Beijinhos, Teresa!