sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Ponto final...

Sinto que este blogue deveria levar um ponto final. Mas não é caso único. Há outros capítulos na minha vida que estava mais do que na hora de serem encerrados. Mas o remate não é o meu forte na costura, fica sempre uma linha solta a pedir um puxãozito. E eu não lhe resisto...
Sou uma respigadora de gente, tralha e emoções. Apanho tudo. E guardo. Aquilo que é bom e o que nem por isso.
O pior nem é a tralha, que essa está lá mas não chateia. O que é mesmo mau são as pessoas, aquelas que não dão paz nem a cacete, as que não gostam de nós mas não descolam, as que lançam veneno e disfarçam para o lado, as que fingem a tempo inteiro sem nunca caírem para o lado de exaustão, as que são sempre contra os outros, contra tudo, contra mim nem que seja porque claramente não estão do meu lado...
Sou uma pessoa forte em quase tudo mas fraca nas rupturas. No  irremediável vejo sempre algum remédio, uma desculpa, há sempre espaço para mais uma mágoa disfarçada, mesmo que mal... Vivo com o coração em turbilhão, a querer parar, quebrar laços sem proveito, mas fica cá tudo, ficam cá todos... E há momentos, como o de hoje, em que pesam que se fartam.

Um dia, se o cancro ainda me der uma folga, gostava de conseguir fazer novas escolhas, ser mais livre e mais feliz.
Se o cancro continuar a não deixar... a escolha é só uma: continuar a combatê-lo e fazer de conta que, à minha volta, no pasa nada.

Não tenho forças para pontos finais... as reticências levam a melhor... e o blogue e o resto vão ficando.

Beijos
T.







5 comentários:

Teresa disse...

Who cares, anyway? :-)

Ana disse...

... fico contente que tenha essa "fraqueza" no blogue...

Anónimo disse...

I do care. A lot.
Ninia

angelina disse...

♥♥♥
Beijinhos

Sofia Martinho Pereira disse...

Cara Teresa,

Não sei onde ou como poderá saber que as suas palavras ecoaram em mim. Como ressoaram a sua comoção sentida, como me encontrei nas suas palavras.
Onde quer que esteja, espero que esteja bem.

Sofia Pereira