quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Why worry?


Why worry? There are only two things to worry about: either you are well, or you are sick. If you are well, then there is nothing to worry about. But if you are sick, there are two things to worry about: either you will get well, or you will die. If you get well, then there is noting to worry about. But if you die, there are only two things to worry about: either you go to heaven or to hell. If you go to heaven, there is nothing to worry about. If you go to hell, you’ll be so darn busy shaking hands with old friends, you won’t have time to worry!!! – Ann Landers (a senhora da foto), jornalista e escritora americana (1918-2002), com gosto pelas citações. Teve uma coluna no Washington Post em que respondia a leitores que pediam conselhos sobre os mais variados assuntos.

Não sou muito dada a citações, mas achei muita graça a esta. Também acredito que ninguém goste de ser ameaçado, mas com o decréscimo acentuado de comentários, avalio o desinteresse disto e deixo de escrever sempre que não tenha nada de interessante para vos contar sobre o meu estado de saúde, como agora, em que me sinto praticamente normal, só frequentemente mais cansada do que era habitual. Não escrevam, não, e depois queixem-se de terem perdido este precioso pedacinho de calhandrice nas vossas monótonas vidas...

Beijocas,
T.

13 comentários:

ana disse...

Já conhecia o texto, mas não sabia quem era a autora. Por acaso acho um bocado mal isso de deixares de dar um ar diário da tua graça, de boa saúde ou não. Quer-se dizer, uma pessoa vem aqui todos os dias, deixa lá ver o que diz a Teresa, será que a peruca voou e tal, e leva com uma ameaça destas? Este blog tem livro de reclamações? Humpf.

Anónimo disse...

Olá boneca, não acho nada bem estares a pensar deixar-nos sem esta tua crónica diária,venho aqui todos os dias só que nem sempre digo nada, mas se é condição para a continuação das mesmas vou passar a dizer qualquer coisa nem que seja só para desejar um bom dia.
Beijos grandes para ti e para a Jo
nina

Ninia disse...

Ai, a menina quer mimos!!!!
Pois tu sabes bem que muitos do teus amigos e familiares vêm aqui todos os dias, mesmo que não deixem comentário.

Eu tb quero escrever no livro de reclamações. Acho mal, prontossss que não nos brindes com estas crónicas diárias de info e de bom humor. Especialmente para mim aqui tão longe.

Anónimo disse...

aaaaaaaiiiiiiii!!!!!! mau Maria...
vamos ter que nos chatear?!
bem...
Ninguém te liga nenhuma não é, eu compreendo...
Se quiseres posso inventar nomes e deixar vários comentários... tudo menos ires-te embora...:-)
beijoss
m

Anónimo disse...

Olá Teresa, todos os dias venho aqui só que nem sempre escrevo,mas vou passar a fazê-lo nem que seja só para dizer oi tudo bem? Acho a peruca o máximo. Tinha uma colega que usava uma e nem com os maiores vendavais que existem em Cascais ela voava. Acho que podes estar à vontade.

Beijos da São

Anónimo disse...

DrªTeresa, não pode avaliar as audiências deste espaço pelo número de comentários que os seus fans lhe deixam. Não se esqueça que muitos de nós não sabe o escrever com conteudos tão interessantes como os que escreve. No meu caso, fico sempre com a sensação de lhe estar a estragar a qualidade deste blog, sempre que deixo um comentário.
E ainda mais sério, já pensou que muitos do visitantes não saibam ler e escrever, talvez venham cá para ver as fotos da directora mais sexy da editora onde trabalho.
Há pois é!!!

E que tal colocar um contador de entradas de visitantes no blog?
Se não souberes como, depois explico.

Bjs
Peter Pan (aquele que agora já sabes quem é)

Teresa disse...

Descobri o meu Peter Pan... só podia ser ele, tanta delicadeza e amizade. Já me roubaram 50% de ti (mas só em trabalho), nunca podemos deixar que nos tirem o resto, nem tudo o que construimos. Mil beijos, meu anjo, depois ensina-me lá isso do contador de acessos.

Susana disse...

Eu também pertenço ao grupo dos que vêm aqui todos os dias mas que não deixam nenhum comentário. Vá, saltam mais uns miminhos para a Teresa!

Susana disse...

Sim, também adoro este pedacinho de calhandrice (quanto à vida monótona é mais discutível...)

beatriz disse...

Faço minhas as palavras de todos!
entro todos os dias, mas não te vou maçar com "nada" para dizer! quero só mesmo saber de ti!
beijos bea

Isabelo disse...

Venho aqui regularmente ler as tuas crónicas, os teus pensamentos, os teus desabafos, e, quantas vezes, penso: "Mas que vou eu dizer perante esta prosa? Se calhar, é melhor ficar calada...".
Onde está o livro de reclamações? :-)))))

Carla A disse...

Pois tenho a dizer-lhe que desde que descobri que tinha um blog, que cá venho espreitar todos os dias como é que passou e como é que está, só não disse nada até agora porque como já lhe disse não tenho muito jeito com as palavras. Já tinha ouvido a história da peruca e do vento na
1ª pessoa, mas com estes detalhes foi bem mais giro, só mesmo o seu sentido de humor apurado para fazer uma descrição destas. E faz favor de continuar a escrever, pois a calhandrice diária faz bem à saúde e ao espírito. BEIJOS DO TAMANHO DO MUNDO.
A menina da frente, ao lado da macaca...

patinho disse...

Aquela história do capacete, por amor de Deus! Não digo que não se estranhou, mas já se entranhou. E adoro o seu blog! Uma confidência e não me leve a mal por ela: não sabia que escrevia tão bem! As melhoras dessa constipação malandra e estamos aqui no nosso "posto" à sua espera. Bjs grandes