sábado, 1 de setembro de 2012

Boa enquanto dura

Há quatro anos que sei que tenho um cancro. Fez esta semana. Certamente que há muito que habitava em mim, e me minava, creio que lentamente... mas eu nem imaginava e, como muitas outras pessoas, era feliz e não sabia.
Não posso dizer que mudei muito. Com o passar do tempo, ainda que bem menos, voltei a aborrecer-me com coisas (e pessoas) que tinha jurado não terem estatuto para me incomodar. Continuo a trabalhar demais, a comer mal, a stressar para lá da conta e a enganar-me, quando me ponho a maldizer a minha boa vida. Sim, porque ela é boa. Por incrível que pareça, mesmo com cancro, ela não se tornou má. Só mais triste, por vezes, mais complicada com frequência mas ainda assim, boa. A doença é dose, mas tenho-a aguentado. Não sei por quanto tempo mas isso pouco importa.

A minha vida será boa enquanto durar, como o amor, se não me faltar trabalho e forças para lá chegar e dar o litro do costume.

Muitas vezes pensei que não viveria até aqui, mas cá estou eu. Não sou um exemplo de nada, porque nada fiz por isso, mas sou a prova de que tudo pode acontecer, de que perante um diagnóstico mau, temos de acreditar em dias melhores, há que ir à luta, porque cada dia é mais um que pode ser bom e não deve ser desperdiçado. Não que eu tenha acreditado nisto tudo a tempo e horas, infelizmente não aconteceu, mas agora sei que é possível e posso começar a apregoar. Sobreviver quatro anos com um cancro em grau IV é algo que, não podendo ser motivo de orgulho, pelas óbvias razões, é certamente de assinalar e de mostrar a quem sofre, que é possível.
É o que tenho para deixar hoje: um brinde à vida e uma palavra de esperança para quem, como eu, acredita pouco naquilo que não vê.
T.

11 comentários:

Lina Querubim disse...

Tchim-tchim brindemos!!!
E não sejas modesta :p és uma GRANDE lutadora, tens lhe dado muita luta!
Beijinhos

Patrícia Pais disse...

Nem sonhas como é reconfortante a tua mensagem... perceber que apesar do prognóstico ser mau existe a possibilidade de "lhe dar a volta" é inspirador! Obrigada Prima! :-)

matamari disse...

Olá Teresa,

Eu fui diagnosticada há pouco tempo com um tipo agressivo e de mau prognóstico. Estou completamente à toa, sem entender muito bem que camião é que me atropelou e porquê. E ajudou-me imenso encontrar este blogue. Obrigada pela partilha. Mesmo.

Madalena disse...

Brindemos pois!!!!! Beijinhos

Guida Palhota disse...

Beijinhos muito grandes, TPLindona! E venham mais quatro! *___*

Guida Palhota disse...

Beijinhos muito grandes, TPLindona! E venham mais quatro! *___*

angelina disse...

❤❤❤
Beijinhos linda

Anónimo disse...

Mana, tu tens sido uma grande lutadora e um verdadeiro exemplo de força, coragem e modéstia... ainda que aches, que o que fazes, nada tem de especial... tem, e muito!
Ao longo da vida, nos bons e nos maus momentos, tens sido, sem dúvida, a pessoa que melhor me ensina os verdadeiros valores da vida, obrigada!
Obrigada mesmo, porque sem ti, não sei que tipo de pessoa me poderia ter tornado.
Amo-te muito, sis!!
beijos e mais beijos
❤❤❤❤❤❤❤❤❤

Anónimo disse...

Que bom..saber que apesar de todas as adversidades...o se humano consegue ultrapassar as dificuldades e adaptar-se...parece que o mundo foi feito para que tudo se encaixe....

cilinha disse...

Pois vamos brindar a vida !!!! vivaaa

bom fim de semana Teresa
beijinhoooo

Isabel Canha disse...

Brindo a isso, querida amiga, para que venham mais outras 40 primaveras e as celebremos juntas! Nunca duvides que és um exemplo que inspira e fortalece muitas outras pessoas.Também por isso (mas não só) gostamos muito de ti! Isabel Canha